Equipe MBrasil, a vencedora.

A equipe M Brasil, integrada por oito atletas que representaram Colombo, foi a grande vencedora da 1.ª Corrida de Revezamento do Circuito das Nascentes do Iguaçu. Além do município, Piraquara, Quatro Barras, Almirante Tamandaré, Campo Magro e Curitiba receberam, ontem, 394 atletas que participaram da prova. Os corredores completaram um percurso de 82,5 quilômetros. Os moradores das seis cidades prestigiaram e incentivaram os atletas durante o trajeto.

A prova durou mais de oito horas e figura entre as três mais longas do sul do Brasil, ao lado da Volta à Ilha de Florianópolis (155 km) e a travessia de São Francisco do Sul (90 km).

Marcos Melo, atleta que percorreu a etapa final pela M Brasil, rompeu a faixa de chegada no Parque São Cristóvão, em Santa Felicidade, em exatos 4h28m48s. A largada foi em frente à Prefeitura de Piraquara, às 7h30. Divididos em 64 equipes, os atletas passaram por ruas asfaltadas, de paralelepípedos e estradas de chão batido, em meio a chácaras, plantações, criação de animais, vias férreas e fornos de produção de cal. Os rios Iraí, Palmital, Barigüi, Passaúna, Belém e Atuba, afluentes do Iguaçu, também formaram o cenário por onde passou a caravana dos participantes.

A beleza da região e o desafio de superação foram os motivos para o consultor de informática Roberto Trevisol participar da corrida, com outros sete amigos. Ele já pratica o esporte, mas encontrou obstáculos no percurso devido ao terreno acidentado, com muitas subidas, descidas e curvas. "Peguei um trecho de estrada de terra, com muita subida. Foi pesado, mas está valendo a pena", afirma.

"Pauleira." Foi assim que a auxiliar de laboratório e corredora Vera Lúcia Ledra definiu a dificuldade da prova. "Corro há cinco anos, mas foi difícil pela grande quantidade de subidas. Fui a primeira da minha equipe e precisava fazer um bom tempo para alcançar as primeiras posições", comenta.

A equipe de Vera contava com mais sete mulheres. "Estamos correndo pelo desafio, pela emoção e pelo prazer de estarmos juntas", pondera. Uma de suas companheiras é a atleta Marisa Silva Cruz, 62 anos, que corre profissionalmente e disputa provas internacionais. Há duas semanas ela esteve na Espanha, onde conquistou a medalha de ouro nos 10 mil metros do Campeonato Mundial de Masters. "A gente corre pela satisfação de conseguir chegar lá", avalia. As oito se conheceram fazendo justamente o que gostam: correr. "Estamos sempre praticando e, onde tiver uma corrida, estaremos lá", avisa Vera.