As seleções de Brasil e Japão fizeram um espetáculo à altura das grandes competições de judô mundial. Em Maringá/PR, as estrelas das duas equipes brindaram o público de cerca de três mil pessoas, que compareceu ao Ginásio Chico Neto na manhã deste sábado, com belos combates e muita emoção. No tatame, uma vitória histórica do time titular do Brasil sobre a equipe principal do Japão por 4 a 3 (2 a 2 na série normal e 2 a 1 para o Brasil no desempate). O Brasil jamais havia vencido o Japão em competições por equipes (foram três derrotas em 1994, 1998 – na final do mundial e 2002). Na rodada de abertura, Japão B 3×1 Brasil B.

O Brasil venceu com Derly sobre Akimoto e de Denilson Lourenço sobre Hiroaki Hiroaka. Daniel Hernandes, Mário Sabino e Carlos Honorato empataram seus duelos. As duas derrotas da primeira rodada da série foram de Flávio Canto (para Takashi Ono, por waza-ari) e Moacir Mendes Jr. (por yuko, para Masahiro Takamatsu). Com a série empatada em 2 a 2, os três combates que terminaram sem vencedor (Mário Sabino x Keiji Suzuki, Daniel Hernandes x Yasuyuki Muneta e Carlos Honorato sobre Seigo Saito) voltaram com as lutas direto no Golden Score (golpe de ouro, equivalente à morte súbita no futebol). Sabino perdeu na bandeira (decisão dos juízes) por 2 a 1 para Suzuki. Hernandes saiu vencedor por koka (shido – punição por falta de combatividade) sobre Muneta. E o ponto decisivo veio com Honorato, por koka, a apenas sete segundos do Golden Score, sobre Saito, numa bela "catada de perna" que fez o japonês cair sentado.