Roberto Cavalo trouxe novo astral ao Paraná Clube. A partir de hoje, ele espera recolocar o Tricolor na luta pelo acesso. O treinador, sem rodeios, fala abertamente sobre o assunto.

Uma vitória sobre o Coritiba, no Couto Pereira, teria um efeito múltiplo no clube. Além de dar um bico no risco de rebaixamento, o time voltaria a sonhar com um salto de qualidade na reta final da Série B.

“Temos confrontos diretos nas próximas rodadas, contra Bahia e América-MG, e em casa”, disse Roberto Cavalo, animado com a mobilização do grupo num momento decisivo da competição. “Mas, tudo passa por um bom resultado nesse clássico. Vamos atrás dele, na superação”.

O treinador reconhece a maior qualidade técnica do adversário, mas não joga a toalha. “Em clássico, não há favorito. Nosso grupo está fechado e isso faz a diferença”, emendou Cavalo.

O técnico joga as fichas não apenas na motivação, mas também na competência defensiva do seu time. O Paraná de Cavalo levou apenas um gol em quatro jogos.

Nas três últimas partidas, correu poucos riscos e, nos contragolpes, faturou Guaratinguetá, Brasiliense e Náutico. “É claro que agora pegamos um adversário ainda mais qualificado. Por isso, quero a equipe ainda mais agrupada”, avisou Cavalo, sem receio de colocar seu time na retranca.

Muitos apostam num jogo de defesa contra ataque. A ideia é rechaçada por Wanderson, o principal articulador do Paraná. “Nós também temos nossas armas ofensivas. Temos um time rápido e que melhorou muito nas finalizações”, lembrou o jogador.

Na intenção de agrupar ainda mais o time, defendendo atrás da linha da bola e esperando espaços para o contra-ataque, o treinador conta com a volta de duas peças importantes: Luiz Camargo e William.

O volante entra na vaga de Chicão, suspenso, e irá formar com Edimar a dupla de proteção à zaga. Já William, recuperado de uma gripe, atuará ao lado de Rodrigo Pimpão, no ataque.

Além de um correto posicionamento, Cavalo irá lançar mão de algumas marcações individuais. O treinador não economiza nos elogios a Rafinha, deixando claro que este será um dos jogadores a receber uma sombra dentro de campo. A tendência é que Edimar seja destacado para essa função. O treinador só não deu pistas se outros jogadores coxas mereceriam o mesmo tratamento.

No único treino tático realizado, ontem, o treinador deu ênfase à bola parada. Procurou ensaiar algumas jogadas em cobranças de falta. “Surpreendemos o Náutico desta forma. É sempre importante ter jogadas preparadas. Às vezes, isso decide um jogo”, arrematou Roberto Cavalo, confiante.