A viúva do goleiro alemão Robert Enke afirmou nesta quarta-feira que o marido sofria com depressão. Enke morreu na terça, depois de ser atropelado por um trem, e a polícia trabalha com suicídio como principal hipótese.

“Tentei ficar ao lado dele e mostrar que havia esperança”, disse Teresa Enke, nesta quarta, em entrevista coletiva convocada pelo Hannover, clube do qual o marido era capitão. A viúva afirmou que o marido temia que o casal perdesse a guarda da filha adotiva Leila, de oito meses, caso sua depressão fosse descoberta.

Em 2006, o casal já havia passado por uma situação emocional delicada, após a morte de sua filha biológica Lara, de 2 anos, devido a um problema cardíaco.

O médico Valentin Makser, que tratava Enke desde 2003, também participou da coletiva. Ele disse que, nos últimos meses, o goleiro fingiu estar recuperado. Em uma carta de adeus, o goleiro pediu desculpas à família e à equipe médica por tê-los enganado.

“O que ele fez era necessário para que pudesse levar adiante seu plano de se matar. É uma pequena que, apesar do tratamento diário durante meses, nós não conseguimos evitar que ele se matasse”, disse Makser.