Seul (AE) – O técnico da Alemanha, Rudi Voeller, faz de tudo para tirar a pressão de seus jogadores. Ontem, afirmou que seu time será o “azarão” na final da Copa do Mundo, domingo, em Yokohama. Em sua opinião, o Brasil é melhor tecnicamente, mais experiente e vem jogando bem. “O Brasil é o favorito.” O alemão disse, no início da semana, que é impossível jogar à moda brasileira por não ter os mesmos talentos no elenco. Fez, porém, uma ressalva.

“Mas a história das Copas mostra que nem sempre o melhor vence.” Embora seja frio e procure esconder suas emoções o treinador está visivelmente ansioso para a decisão do Mundial. Se sua seleção vencer, Voeller entrará para a história como um dos três personagens do futebol a conquistar título de Copa como jogador e técnico. O comandante alemão lembrou as dificuldades pelas quais seu time passou na campanha das eliminatórias e soube superá-las.

Comentou, também, que perdeu vários jogadores importantes dias antes da competição e, mesmo assim, conseguiu alcançar a decisão. Esse é o discurso que vem usando para motivar ainda mais o grupo a vencer o “favoritíssimo” Brasil. “Até nós estamos surpresos. O time começou a competição completamente desacreditado, mas ganhou confiança e embalou após a vitória sobre o Paraguai (por 1 a 0, nas oitavas-de-final).” Só há uma dúvida no time da Alemanha para a partida de domingo.

Voeller ainda pensa em quem colocar no lugar de Ballack, que está suspenso com dois cartões amarelos. O mais provável é que Jeremies, fraco tecnicamente, fique com a vaga. “É quase impossível substituir o Ballack, ele é a sustentação do time”, exagerou.