O presidente da União Ciclística Internacional (UCI), Pat McQuaid, afirmou nesta quarta-feira que a Volta da França deste ano terá um controle antidoping recorde. De acordo com o dirigente, mais de 500 exames serão realizados durante as três semanas do evento, que começa no dia 4 de julho.

“Pelo número de testes, na minha opinião, será o evento com o maior controle antidoping da história, em todos os esportes. É algo grandioso”, afirmou McQuaid. A UCI trabalhará em conjunto com a agência antidoping francesa (AFLD), como já aconteceu no início desta temporada, na prova de Paris-Nice.

Um grupo de 50 ciclistas – considerados favoritos na prova ou que levantem algum tipo de suspeita – será monitorado com frequência pela organização. Os competidores serão testados também durante os treinos de preparação, e os exames conseguirão detectar os hormônios CERA e insulina.

Dois dias antes da prova, todos os ciclistas terão de fornecer duas amostras de sangue, que serão testadas e guardadas. Durante a Volta haverá exames aleatórios em um número ainda não determinado de competidores. Na edição de 2008, seis ciclistas foram flagrados por doping, durante e depois da competição.