O goleiro Weverton foi suspenso por oito jogos por causa da confusão após o fim do clássico entre Atlético e Paraná, no último dia 9, na Vila Capanema, e está fora do Campeonato Paranaense. A punição foi determinada em julgamento da 2ª Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR) que durou quase quatro horas, na noite desta terça-feira (18).

A suspensão tira o capitão rubro-negro dos restante da disputa regional. O Rubro-Negro venceu o jogo de ida da semifinal, contra o Londrina, por 2×1, e faz a partida de volta no próximo domingo (23), no Estádio do Café.

O Furacão, porém, já confirmou que vai recorrer da decisão e solicitará um efeito suspensivo até que o novo julgamento aconteça. Outros quatro envolvidos na confusão também acabaram punidos. O atacante Douglas Coutinho e o goleiro reserva Warleson foram suspensos por nove e quatro partidas, respectivamente, também ficando de fora da fase final da competição.

Do lado paranista, Nathan recebeu sete jogos de punição e Felipe Alves quatro. No entanto, os atletas do Tricolor só vão cumprir a punição na edição de 2018 do Estadual.

Uma provocação de Weverton desencadeou uma confusão generalizada no clássico, que terminou com a classificação do time visitante. Logo depois do apito final, o camisa 12 chutou a bola para longe e colocou as mãos nos ouvidos em gesto provocativo para a torcida paranista, o que enfureceu os atletas do Tricolor e motivou uma briga entre os jogadores e comissões técnicas das duas equipes.

“Desde o momento que pisei no campo para aquecer, fui desmoralizado como homem pela torcida do Paraná. A minha atitude não era falta de respeito, era uma forma de eu extravasar a minha alegria. Não vejo motivos para ter sido expulso, nem estar aqui. Eu só apanhei e fui insultado”, tentou defender-se Weverton ao testemunhar no julgamento.

“Goleiro de seleção brasileira, campeão olímpico, não pode revidar para a torcida as provocações que tomou. Realmente ele apanhou, mas ele também agrediu”, rebateu um dos procuradores.

O arqueiro foi denunciado nos artigos 258-A (provocar o público durante partida, prova ou equivalente), 254-A (praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente) e 257 (participar de rixa, conflito ou tumulto, durante a partida, prova ou equivalente) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), além do 184 (Quando o agente mediante mais de uma ação ou omissão, pratica duas ou mais infrações, aplicam-se cumulativamente as penas).

Já Douglas Coutinho foi denunciado no 254-A, duas vezes, 257 e 184. Já Warleson foi enquadrado no 254-A, mesmo artigo no qual foram denunciados os atacantes do Paraná Clube, Nathan e Felipe Alves.

O Atlético ainda foi punido em R$ 3 mil pelo uso de sinalizadores de sua torcida.