Filho do tricampeão
terá que ir bem no treino.

Poucas horas depois de Nelson Piquet revelar, em entrevista à TV Globo, que seu filho Nelsinho tem uma proposta da Williams nas mãos, a equipe inglesa veio a público para confirmar o interesse no piloto. O tricampeão mundial falou na noite de terça-feira, durante a entrega do prêmio Capacete de Ouro da revista Racing, em São Paulo, que a Williams ofereceu a Nelsinho um contrato de sete anos, valendo a partir de 2004. Seriam dois anos como piloto de testes e cinco como titular.

São Paulo – Tais detalhes, no entanto, a Williams não confirmou. Um porta-voz do times falou apenas que um contrato foi assinado para que Nelsinho faça seus primeiros testes na Fórmula 1. “É um procedimento padrão”, disse Liam Clogger, diretor de comunicação da equipe. “Esse contrato cobre uma série de obrigações de ambas as partes, com cláusulas de confidencialidade. É um documento que vale por curto período, o bastante para que possamos decidir se vamos manter o piloto ou não.”

A declaração vai ao encontro do que disse ontem Nelsinho ao programa Globo Esporte. “Tudo vai depender do que eu fizer nos testes”, falou, por telefone, de Oxford, na Inglaterra. “Meu sonho sempre foi correr na F-1 e parece que o momento está próximo.”

As datas dos treinos foram divulgadas pela Williams. Nelsinho anda em Jerez, na Espanha, na próxima terça-feira, dia 2 de dezembro, e na manhã de quinta (dia 4). No dia 3 e na tarde do dia 4, quem será testado pela equipe é o filho de Keke Rosberg, Nico Rosberg. Keke e Piquet defenderam a Williams na década de 80.

As boas relações de Piquet com a Williams e a BMW (com os motores alemães, na Brabham, ele foi campeão em 1983) foram fundamentais na aproximação da equipe com Nelsinho. No dia 26 de maio, Frank Williams foi a Silverstone especialmente para ver o piloto correr na F-3. Nelsinho terminou o campeonato inglês da categoria em terceiro lugar, com seis vitórias e oito poles. Ele tem 18 anos e na próxima temporada, assine ou não como piloto de testes da Williams, vai disputar de novo a F-3 na Inglaterra.

Treinos prosseguem

São Paulo

– Williams e Ferrari voltaram a dominar os testes coletivos da F-1 ontem em Valência e Barcelona, na Espanha. Foi o segundo dia de treinos após o encerramento da temporada. Apenas a McLaren está andando com o carro do ano que vem, o MP4-19, sucessor do MP4-18 que nem chegou a ser usado em corrida.

Na Catalunha, Luca Badoer, da Ferrari, ficou com o melhor tempo, a exemplo do que fizera na terça-feira. Foram seis carros na pista, com a BAR usando um modelo “conceito”, pintado de preto e branco, e Giancarlo Fisichella fazendo seus primeiros testes na Sauber. Felipe Massa, que será seu companheiro em 2004, ainda está treinando com a Ferrari e só em dezembro assume o carro da equipe suíça.

Em Valência, dez pilotos treinaram. Anteontem, Montoya bateu o recorde da pista com 1min10s081, mas ontem ficou em 2.º. Seu companheiro de Williams, Ralf Schumacher, fechou o dia na frente.