O zagueiro Bolívar foi absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) nesta sexta-feira e está liberado para defender o Internacional no segundo jogo da decisão da Copa do Brasil, no dia 1º de julho, no Beira-Rio. A participação na final, porém, ainda não está garantida, já que o contrato do jogador termina um dia antes do jogo decisivo.

Bolívar foi denunciado pela Procuradoria do STJD por ato desleal (artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva) por causa da expulsão no jogo contra o Coritiba na semifinal da Copa do Brasil. Em função do cartão vermelho, o zagueiro desfalcou o Inter no primeiro jogo da final, contra o Corinthians.

Com a decisão do STJD, Bolívar está liberado para enfrentar o time paulista na segunda partida da decisão. No mesmo julgamento, o Inter foi punido com uma multa de R$ 3 mil por ter atrasado em três minutos o reinício da partida, disputada no Estádio Couto Pereira.

Apesar da liberação do STJD, Bolívar ainda não está garantido na finalíssima da Copa do Brasil. O jogador tem contrato de empréstimo com o Inter somente até o dia 30 de junho, véspera do jogo decisivo. Por essa razão, o jogador viajou para a França nesta semana para negociar a sua situação com o Mônaco, clube que detém os seus direitos federativos.