Arthur Zanetti cravou a aterrissagem no solo, levantou os braços e comemorou antes mesmo de ver a nota que garantiria o título mundial nas argolas. O ginasta, campeão olímpico em 2012, estava tão confiante na medalha que não precisou esperar pela avaliação dos juízes para saber que se sagraria campeão na Antuérpia, neste sábado.

“Foi perto da perfeição. Hoje eu fiz a minha parte. O resultado era o que eu estava esperando. E o objetivo era ficar em primeiro. Lógico que não foi perfeito, nunca é perfeito. Mas hoje a minha série foi a primeira”, afirmou o ginasta, em entrevista à Sportv, logo após receber a medalha de ouro.

Zanetti explicou que foi a confiança na vitória o levou a comemorar de forma contida. A celebração ao fim da apresentação não teve sequência, nem mesmo depois da confirmação do título. Além disso, o ginasta atribuiu a comemoração discreta ao estilo mais “guardado”.

“Sou mais tranquilo, guardado mesmo. Cada um tem seu estilo, meu sentimento é esse”, disse o brasileiro, que não chegou a se emocionar no pódio. “No começo, fui um pouco mais guardado. Mas depois deu para mostrar meu sorriso, o Hino Nacional mexe muito comigo”.

O campeão mundial tratou o novo título como missão cumprida e disse que agora pretende brilhar nos Jogos Pan-Americanos, antes de competir na Olimpíada do Rio. “Mais uma etapa foi concluída na minha careira. Era meu objetivo ser campeão mundial. Medalha que falta agora é a dos Jogos Pan-Americanos”, avisou.

Para tanto, Zanetti promete seguir treinando com empenho, em São Caetano. “Graças a Deus, estamos trabalhando bastante para buscar sempre o melhor para a ginástica brasileira. O trabalho vai seguir ainda futuramente. Dedico o título a todo mundo que me ajudou, ao pessoal lá do ginásio em São Caetano, a todos os funcionários e à família”.