Um dos maiores ídolos do Flamengo, Zico foi homenageado com uma estátua no “Hall da Fama” do Maracanã. A obra, que foi produzida pelo cenógrafo Abel Gomes, mostra o craque dando um voleio. Zico também deixou sua marca na Calçada da Fama do estádio.

“A estátua me lembra muito um gol que fiz na Copa de 82 contra a Nova Zelândia. Está aprovada”, disse o ex-jogador, em entrevista à Sportv, na inauguração da estátua, na noite de sábado. O gol lembrado por Zico aconteceu na vitória por 4 a 0, no último jogo da primeira fase do Mundial da Espanha.

Zico é o maior artilheiro do Maracanã, com 333 gols em 435 jogos. O atual técnico do Olympiacos, da Grécia, se emocionou ao receber a homenagem. “Gostaria que meu irmão e o meu pai estivessem aqui conosco nesse momento. Mas eles estão abençoando esse momento lá de cima”, declarou.

Após a inauguração da obra, Zico voltará ao Maracanã neste domingo para o Jogo das Estrelas, a partir das 17 horas. O grande destaque da partida beneficente será o ataque formado pelo próprio homenageado, Adriano e Romário. “O Adriano vai nos carregar nas costas”, brincou Zico.

Parte da renda arrecadada será destinada à família do ex-goleiro do Flamengo Zé Carlos, que morreu neste ano, e ao ex-atacante Washington, do Fluminense, que luta contra uma doença neurodegenerativa. Também vão participar do jogo Amoroso, Ricardo Rocha, Falcão (futsal), Carlos Alberto (Vasco), Emerson (ex-volante da seleção brasileira), Bebeto (técnico do América), entre outros.