Não foi só festa a passagem de Giovanna Lancellotti pela Rússia, entre os dias 26 e 29 de junho, para acompanhar a Copa do Mundo. Durante os poucos dias que passou lá, a atriz, que está no ar como a mimada Rochelle de Segundo Sol, também viveu alguns perrengues, entre eles o assédio de brasileiros e estrangeiros.

“O assédio estava pesado lá. Briguei com vários caras sem noção. Os brasileiros estavam se soltando, achando que era liberado. Teve um que me empurrou, vi que era brasileiro, peguei o cara pelo braço e disse: ‘Você não vai me empurar, não’. Cheguei a gritar com um árabe, em português mesmo: ‘Mano, sai de perto de mim!’. Ele falava com o Facetime apontado para mim: ‘Diga olá para os meus amigos’. Até que berrei para ele sair. A mulherada tem que botar pra quebrar, não pode deixar encostar contra a vontade, tem que levantar a voz. Se precisar, eu faço um barraco, mas não deixo o sujeito dar de bonito, relar em mim sem autorização. Sempre fui assim e agora sou ainda mais. Sou brava em relação a desrespeito no geral”, disse ela, em entrevista ao jornal Extra.

Sotaques regionais das novelas