A camicleta pode voltar ao ar.

A série Shazan, Xerife & Cia, um clássico da televisão brasileira nos anos 70s, pode voltar ao ar no próximo ano com uma nova leitura, com direção de Edson Spinello e texto de Péricles Barros. "Regravar séries é recuperar a idéia original", defende Spinello, ao explicar que os personagens Shazan e Xerife vão ser apenas inspirados nos da série original de Walter Negrão, vividos respectivamente por Paulo José e Flávio Migliaccio. Mas um elemento da série original está garantido: a camicleta, uma mistura de caminhão com bicicleta, vai continuar existindo no novo projeto. "A camicleta é quase um terceiro personagem da série", justifica Spinello. Para aproximar a série das crianças e pré-adolescentes de hoje, a idéia é reduzir a idade de Shazan e Xerife. Por isso, novo projeto vai ser ambientado em um clube de esportes radicais, sendo um skate voador o novo objeto idealizado por Shazan. "Aquela ingenuidade não funciona mais, mas a história funciona", acredita Barros.

A idéia de regravar Shazan, Xerife & Cia surgiu pela surpreendente atualidade do formato, que mistura aventuras com humor. "As novas gerações precisam e merecem conhecer produtos de sucesso do passado", valoriza Spinello, empolgado em poder dar nova vida aos personagens, que já possuem 33 anos de criação. Shazan e Xerife apareceram em 1972, na novela O Primeiro Amor, de Walter Negrão. Com o crescimento deles durante a trama, o autor criou a série infantil. Os dois sonhavam em construir uma bicicleta voadora e, na série, percorreram o país em busca do elemento mágico, que faria a bicicleta voar. Em 1998, Paulo José e Flávio Migliaccio viveram novamente Shazan e Xerife numa participação na novela Era uma vez, do mesmo autor, em comemoração aos 25 anos de criação dos personagens.

O autor Walter Negrão gostou do interesse de regravarem a série, já que acredita que seus personagens continuam na lembrança das pessoas. "Grande parte do sucesso se deve à interpretação de Paulo José e Flávio Migliaccio, que entenderam e se apaixonaram pelos personagens", emociona-se Negrão. Ele sempre se diz surpreendido quando alguém fala em fazer o "remake" da série, pois criou os personagens para manter o público infantil da novela anterior e para fazer uso do "merchandising". "A dupla foi criada com esses dois propósitos: agradar as crianças e vender bicicletas", revela.

Para Flávio Migliaccio, o Xerife foi um dos personagens mais importantes de seus 50 anos de carreira. "Ele se aproximava muito de mim", explica Flávio. Ele acha interessante a idéia de regravarem Shazan, Xerife & Cia, mas não sabe ainda a sua reação de ver outro ator dando vida a Xerife. "Acho que vou ter um pouco de ciúmes", admite. Cotado para interpretar Xerife, o ator Sérgio Hondjakoff foi consenso entre Spinello e Barros. Empolgado com a proposta, Sérgio garante não fazer feio no skate. "Eu não sei fazer manobras de ‘street’, mas com equipamentos e umas aulas, eu teria coragem de pular escada", afirma. Ele foi sondado para o papel, mas vai continuar em Malhação até o final desta temporada. Sérgio confessa que tem evitado pensar na idéia de viver o Xerife para não "travar", até porque ainda não está nada confirmado. "Eu acho que o Xerife é bem carismático, mais até que o Cabeção", tergiversa. Já ator para interpretar Shazan ainda não foi escolhido. "Gostaria de lançar um ator e gostaria que ele fosse negro", avisa o autor.