O jornalista Dennys Overbye, subeditor do jornal The New York Times, biografa a vida de Albert Einstein, o cientista que transformou para sempre a idéia da presença humana no universo, a partir dos documentos tornados públicos a partir de 1980. Em Einstein Apaixonado (Editora Globo, 522 páginas), o leitor encontra um completo balanço da vida, amores e obra durante os primeiros 40 anos do gênio formulador da Teoria da Relatividade.

Einstein Apaixonado é o primeiro livro a partir dos milhares de documentos tornados públicos, incluindo as centenas de cartas de amor para Mileva Maric, a primeira esposa do então jovem cientista. Overbye afirma que “procurou dar vida ao jovem Einstein, revelando as realizações de sua juventude, pelas quais o adulto – o ícone – é reverenciado”.

O livro, enfim, revela uma outra faceta do mais famoso cientista do século XX: o jovem mulherengo. Pai de uma criança ilegítima e envolvido num casamento infeliz com a sérvia Mileva, o mito, na juventude, foi egoísta e inconseqüente como costumam ser os jovens. Vista através de sua tumultuada vida amorosa, a biografia de Einstein restaura sua humanidade.

Overbye, entretanto, também destrincha a evolução do trabalho científico de Einstein, tratando de sua contribuição para o desenvolvimento da Teoria Quântica e apresentando uma admirável explicação para todo tipo de leitor a respeito da origem da Teoria da Relatividade.

“O gênio da abstração que precisa de uma mulher para prender seus pés à terra é um clichê. Mas (…) no caso de Albert, o clichê é virado do avesso. Era na Física que ele precisava prender os pés na bruma surreal do desejo e das exigências estonteantes da barriga e outros órgãos”, pondera o jornalista.