Na nova campanha, Papai Noel leva
refrigerante aos brinquedos abandonados.

Certos jingles de Natal são um bom exemplo de amor à primeira vista na história da propaganda brasileira. Nos casos específicos da Varig e do Nacional, de amor para a vida toda. O primeiro grande jingle natalino foi criado em 1965 pelo maestro Archimedes Messina e chamava-se Estrela brasileira. Criado pela extinta Agência Expressão, o tema da Varig chegou a ser cantado até por Xuxa Meneghel. Ano passado, Rodolfo Sampaio, da Salles D?Arcy, optou por uma discreta releitura instrumental. Intérprete de diversos jingles de sucesso, como os da Coca-Cola, McDonald?s e Goodyear, Silvinha Araújo foi quem cantou mais vezes o Estrela brasileira da Varig. “O que me encantava no jingle é que eu só dependia do meu talento. Não dependia de gravadora, televisão. Pude cantar coisas dificílimas e arrasei”, gaba-se Silvinha.

Tão famoso quanto o jingle da Varig só mesmo o do Nacional. Em 1971, o então diretor de criação da extinta JMM Publicidade, Lula Vieira, recebeu a incumbência de compor um tema natalino para o Banco Nacional. Com pouca experiência no ramo, pediu ajuda ao compositor Edson Borges, o Passarinho, que, coincidência das coincidências, tinha acabado de compor uma música e queria mostrá-la ao amigo. Quando Passarinho terminou de cantar Para não ser triste, Lula estava boquiaberto. “Meu jingle estava ali, prontinho. Só tive de mexer num verso ou outro”, reconhece. Feito o jingle, faltava o comercial. Lula, então, reuniu 500 crianças, todas vestidas de amarelo, na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte do Rio. O sucesso, garante, foi imediato. “O comercial ficou uns 15 anos no ar. Só eu dirigi sete ou oito versões diferentes”, orgulha-se.

Descompostura

No mesmo ano em que o Nacional inaugurou sua campanha natalina, a Globo pôs no ar a mensagem de boas festas que virou quase uma marca registrada da emissora. Marcos Valle compôs a melodia e Nelson Motta e Paulo Sérgio Valle, a letra de Um novo tempo. Aprovada pelo então todo-poderoso da Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, o jingle foi entoado por astros e estrelas da Globo, como Tarcísio Meira, Francisco Cuoco, Regina Duarte, Chico Anysio, entre outros. No dia da gravação, Dina Sfat passou uma descompostura em Nelson Motta. Indignada, perguntou como ele teve coragem de compor uma música que servia aos interesses da ditadura militar. Hoje, Nelson reconhece o “delirante otimismo” da letra de Um novo tempo. “Nosso jingle se transformou na música mais tocada do fim de ano. Em todas as festas, em vez de Jingle Bell?s cantava-se Um novo tempo e eu não sabia se sentia orgulho ou vergonha”, admite ele.

Sucesso também no exterior

– Em 1984, Lula Vieira passou o Natal na Argentina. Quando entrou numa catedral em Buenos Aires para participar da Missa do Galo, levou um susto ao ouvir uma melodia bastante familiar: a do jingle do Banco Nacional. Anos depois, foi a vez de ele escutar a tal melodia no Museu dos Órgãos em Munique, na Alemanha. É que o funcionário encarregado de afinar os instrumentos era brasileiro…

– Outra campanha de Natal que ficou famosa foi a da Sadia, em comemoração aos seus 50 anos, em 1994. Embalada pela música Perhaps Love, cantada em dueto por Placido Domingo e John Denver, um casal de velhinhos recordava os melhores momentos de sua vida.

Os mais famosos jingles

Estrela brasileira

(Archimedes Messina)

“Estrela brasileira no céu azul

Iluminando de Norte a Sul

Mensagens de amor e paz

Nasceu Jesus, Chegou o Natal

Papai Noel voando a jato pelo céu

Trazendo um Natal de felicidade

E um Ano Novo cheio de prosperidade

Varig, Varig, Varig”.

Um novo tempo

(Nelson Motta, Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle)

“Hoje é um novo dia

De um novo tempo

Que começou

Nesses novos dias

As alegrias

Serão de todos

É só querer

Todos nossos sonhos

Serão verdade

O futuro já começou

Hoje, a festa é sua

Hoje, a festa é nossa

É de quem quiser

Quem vier”.

Para não ser triste

(Edson Borges e Lula Vieira)

“Quero ver você não chorar

Não olhar pra trás

Nem se arrepender do que faz

Quero ver o amor crescer

Mas se a dor nascer

Você resistir e sorrir

Se você pode ser assim

Tão enorme assim

Eu vou crer

Que o Natal existe

Que ninguém é triste

Que no mundo há sempre amor

Bom Natal, um Feliz Natal

Muito amor e paz pra você

Pra você”.