Fernanda Lima e sua trupe voltam ao ar hoje, com a nova temporada de Amor & Sexo. Com seus quadros e brincadeiras, a atração continua com o propósito de convidar a todos a falar sobre o tema com a liberdade, o bom humor e a naturalidade característicos da atração. “Picante, dançante, pensante, divertido, informativo, vanguardista e sem espaço para preconceitos”: essas são algumas das características que o elenco da nova temporada usa ao falar do programa.

Sob o comando da apresentadora, a atração traz, entre as novidades, a presença da filósofa Djamila Ribeiro na bancada, ao lado de José Loreto, Mariana Santos, Eduardo Sterblitch, Dudu Bertholini e Regina Navarro Lins. Já o roteiro ganha o reforço da jornalista, blogueira e escritora Milly Lacombe, e a banda passa a ter Mylena Jardim, ganhadora da quinta edição do The Voice Brasil, dividindo os microfones com Régis Paulino. Todo mundo junto e com o mesmo espirito que norteia o programa desde sua estreia: encarar o que vier, sem tabu.

+Leia mais: Humorista Eduardo Sterblitch vai aparecer completamente pelado no Amor & Sexo

Nova temporada do Amor & Sexo estreia nesta terça-feira (9).
Elenco da nova temporada do programa reunido. Foto: Divulgação/TV Globo

Novos temas

Na nova safra, temas como masculinidade, corpo, família, feminismo e discussão de gênero permeiam os papos e discussões do elenco e convidados, sempre com muito bom humor e informação. Tudo embalado com coreografias e musicais, e buscando a troca e a interação com anônimos que se entregam e se revelam sem pudores em um bom papo. Para a apresentadora, o debate é um dos destaques dessa temporada.

“O debate se tornou mais rico, toma mais tempo do programa e dá a chance de os assuntos se assentarem para poder ter vários pontos de vista. Mas destaco também os momentos divertidos do nosso elenco, por quem sou apaixonada. Em tempos de ânimos acirrados, a gente precisa de diálogos amorosos, de debates cuidadosos, delicados, gentis, em que a gente possa expor nossas ideias, por mais divergentes que sejam. Esses são os debates de fato construtivos e que podem mover montanhas. Nosso principal desafio foi achar o tom para que a gente consiga, com as nossas ideias e propostas de show, fazer com que todo mundo queira assistir, independentemente de suas posições. É um programa muito agregador nesse sentido e isso me emociona. Quando a gente traz algo que toca a todos, a gente não precisa separar ninguém. A gente fala com todo mundo”, explica a apresentadora.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

‘A homofobia mata’, diz Maisa após descobrir morte de seguidor