Dez dias antes de morrer, Hebe Camargo foi sentenciada a pagar 300 salários mínimos (R$ 186.600) a Márcia Regina Alves, mulher do cantor Chitãozinho, da dupla Chitãozinho e Xororó.

Hebe foi ainda condenada a pagar as despesas processuais e honorários advocatícios de Márcia, no valor de 20% do total da condenação.

Hebe entrevistou em seu programa, em outubro de 2000, a ex-mulher de Chitãozinho, Adenair Lima, e seus filhos com o cantor. Segundo Márcia, na entrevista, Hebe a injuriou, “insunuando claramente que ela seria prostituta, oportunista e adúltera”.

Em ação aberta em 2001, Márcia disse que Hebe a chamou de garota de programa, disse que ela era frequentadora de um prostíbulo e a comparou a Capitu, prostituta da novela “Laços de Família”.

Em sentença publicada em fevereiro de 2011, a Justiça considerou que a apresentadora não teve a intenção de ofender e não atacou “a dignidade de Márcia como pessoa humana”.

Em junho do ano passado, Márcia entrou com recurso, dizendo que o ato de Hebe causou danos à sua imagem e à sua honra.

Segundo o acórdão registrado no dia 28 de setembro –um dia antes da morte da apresentadora–, Márcia foi “condenada por antecipação”, “enxovalhada” e “agredida psicologicamente” no programa de Hebe. Foi considerado que as palavras e trejeitos de Hebe ofenderam Márcia moralmente e a atingiram em sua honra.

Procurado, o advogado de Hebe, Guilherme Cavalheiro, não quis comentar o caso.