Batimpaz é prata da casa. É o nosso clássico infantil. A Cia. Ciclorama de Teatro, formada por atores da nova geração do teatro curitibano, escolheu o texto de Enéas Lour para o seu trabalho de estréia. Dispostos a colocar a mão na massa, a Cia Ciclorama saiu em busca de apoio para a montagem sem verba oficial e, como antigamente, conseguiu quase tudo. Inclusive a participação de Mario Shoemberger e de Enéas Lour, que gravaram suas atuações em DVD e contracenam com o elenco virtualmente. Mario Shoemberger é o General Azul e Enéas Lour o General Verde, personagens conhecidos dos dois, que já atuaram em Batimpaz em 1982 e 1986.

Regina Bastos, que também atuou nas duas montagens, assina a direção; Beto Bruel, a iluminação. Dirigindo sua filha Renata Bruel no mesmo papel que encenou centenas de vezes. Satisfeita também em dirigir Rafaela Pedroso e Bruno Cavalcanti, nesse texto que considera a obra prima do autor.

Batimpaz foi escrito por Enéas Lour em 1982, no auge do trágico conflito que envolveu a Argentina e a Inglaterra, que ficou conhecido como a Guerra das Malvinas. A inspiração para escrever o texto veio da pergunta feita por Maíra, na época com 3 anos de idade, quando viu cenas da guerra na TV: “Pai, por que é que eles brigam?”

Serviço:
Batimpaz
. Local: Teatro Rodrigo D’Oliveira. Rua Carlos de Carvalho, 418, Centro – 223-2205. Sábado e domingo às 16 horas. Entrada: R$ 10,00 ou R$ 7,00 (doando 1kg de alimento, brinquedo ou roupa infantil) e R$ 6,00 (classe artística, estudantes e maiores de 60 anos)