O Espaço Cultural do Beto Batata (R. Professor Brandão, 678 ? 3262-0840 – Alto da XV) faz uma homenagem ao Dia Internacional da Mulher, nesta quarta-feira, dia 8, a partir das 20 horas. Na ocasião, será aberta a coletiva Três Intimidades, que reúne trabalhos recentes das artistas Aline Giuliani, Juliana Graf e Lindalis Mores que vão expor, respectivamente, pinturas acrílicas sobre papel acetato com colagens, fotografias e objetos. A noite em homenagem as mulheres também terá uma surpresa especial: a primeira apresentação pública da tradicional (e musical) família Sabbag – Paulinho, Jeff e o patriarca Gebran – que juntos, em três pianos, vão apresentar um repertório de standards do jazz e clássicos da música brasileira que tenham como mote o universo feminino.

Três Intimidades, como o próprio nome já adianta, apresenta obras do universo particular de cada uma das expositoras, em técnicas distintas, que tem como ponto comum a memória e a busca do auto-conhecimento. Aline conta que os trabalhos que serão expostos por ela nasceram casualmente por conta de uma inquietação profissional. Acontece que ela estava sem produzir desde que se tornou mãe ? há quase dois anos ? e isso estava deixando seu lado artístico meio agoniado. Então, há poucos meses, andando pelas calçadas de Curitiba encontrou rolos de papel acetato que tinham sido jogados fora. Levou para casa e recomeçou a trabalhar intensamente.

?Depois que encontrei os acetatos comecei a pensar na transparência e o que dava para fazer com eles. Fui fazendo testes e tudo foi fluindo. No meio disso tem as cartas pessoais que ficarão penduradas no teto como casulos. Os trabalhos desta mostra são todos são verticais… Assim fui explorando imagens do que eu sentia, tentando descobrir um pouco de mim mesma… A tinta solitária foi tendo companhia com xerox de fotos rasgadas e coladas ou costuradas no acetato?, explica.

Essa busca pessoal também pode ser encontrada nos trabalhos das outras artistas. Juliana Graf vai expor cinco fotos em preto e branco com labirintos impressos nas suas mãos. O interesse pelo tema começou após uma viagem a Índia quando teve contato com um calendário de mandalas tibetanas e desenhos na parede de um templo indiano. ?Então comecei a estudar sobre o simbolismo do labirinto cretense ? que é um caminho só, chamado também de labirinto clássico dos sete enrolamentos, onde não há becos sem saída, nem encruzilhadas. Percorrer um labirinto representa adentrar no meu próprio mundo, descobrindo em cada curva uma nova surpresa e um novo desafio. O centro é o símbolo do sagrado, e no meu centro eu encontro a minha alma?, explica a artista que vai fazer um ?labirinto-instalação? no espaço de exposições.

Já a ?intimidade? da artista Lindalis Mores vem por intermédio de objetos pessoais com retratos de família. São dezenas de caixinhas de madeira que recebem a colagem de objetos e fotos do acervo pessoal. A artista explica que as obras são pequenas justamente para criar uma intimidade com as pessoas e que algumas ficarão na cristaleira do restaurante, ?um local que normalmente as pessoas usam para guardar uma vida dentro?.

Lindalis conta que para sua exposição revirou fotos e objetos que pertenceram a avó materna, que estavam guardados como pequenos tesouros. ?É assim que os vejo nas caixinhas de madeira que os protegem agora. Também utilizei objetos meus e de minha mãe, como cartas, livros e fotos. Percebo claramente a minha busca por uma identidade, quando guardo terra em pequenos vidros, ou utilizo fotos da cidade de Curitiba sobrepostas às fotos de meu rosto. Isso vem de encontro a uma frase de minha mãe: ?a tua terra te acolhe?, que sempre ficou muito forte dentro de mim?, diz.

O restaurateur Robert Amorim, o Beto Batata, conta que a idéia de preparar uma homenagem às mulheres com essa coletiva reunindo três artistas no restaurante é, na verdade, uma forma de reconhecimento à produção cultural feminina de Curitiba. ?A cidade está acontecendo culturalmente graças as nossas artistas?. Sobre a exposição Três Intimidades ele acha que, apesar das diversas linguagens, percebeu a clara a relação entre os trabalhos, na busca de uma identidade. ?A Aline traz intimidade com suas cartas e sua poesia, a Juliana mergulha em seu labirinto e a Lindalis com objetos pessoais. São três formas de se ver, de procurar, três mulheres, três filhas, três netas, três intimidades femininas?, finaliza.

Serviço
Três Intimidades. Exposição coletiva das artistas plásticas Aline Giuliani, Juliana Graff e Lindalis Mores. No Espaço Cultural do Beto Batata (R. Professor Brandão, 678 ? Tel: 3262-0840). Horário de visitação, Diariamente, do meio-dia à meia-noite. Entrada franca.
Na abertura, quarta-feira, dia 8 de março, show com a família Sabbag, a partir das 20h30 horas.