A produtora Inffinito promoveu na manhã de ontem (06) encontro no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, que reuniu alguns dos maiores representantes do setor audiovisual brasileiro: Lucy Barreto, José Wilker, Mariza Leão, Wilson Cunha, Silvia Rabello, Bianca de Felippes, Iafra Britz e as diretoras da Inffinito, Adriana L. Dutra e Cláudia Dutra. Durante uma hora, de acordo com texto da assessoria de imprensa, eles debateram vários aspectos do cinema nacional, com mediação de Paulo Sérgio Almeida, para colaborar na elaboração do Circuito Inffinito de Festivais, que comemora 15 anos como a maior vitrine do cinema nacional no exterior.

Segundo a assessoria de imprensa, todos participaram como curadores ou presidentes de júris nos festivais promovidos pela Inffinito em cidades como Miami, Londres, Buenos Aires e Nova York, que recebe a primeira etapa internacional deste ano, o 9º Cine Fest Petrobras Brasil – NY, de 12 a 19 de junho, no Tribeca Cinemas.

De acordo com a assessoria, Adriana Dutra abriu o encontro destacando as conquistas obtidas pelo Circuito Inffinito de Festivais desde o primeiro festival realizado, o 1º Brazilian Film Festival of Miami, em 1997, quando não existia nenhum evento no mundo dedicado exclusivamente ao cinema brasileiro. “Criamos um novo formato de exibição, uma data reservada para o nosso cinema no exterior”, disse Adriana, de acordo com a assessoria.

Presidente do júri do festival de Miami em sua sétima edição, em 2003, Lucy Barreto falou sobre a imagem muitas vezes estereotipada que o público e profissionais estrangeiros têm do cinema brasileiro. “Quando o circuito exibiu O Homem do Ano (7º Brazilian Film Festival of Miami), um dos jurados americanos me disse ‘mas isso não é cinema brasileiro’. Ora, por que não é cinema brasileiro? Só porque é bem feito?”, afirmou Lucy, relata a assessoria de imprensa.

A produtora lembrou ainda sua primeira participação no circuito, com O Quatrilho, de Fábio Barreto, em 1997, conversou sobre a importância do Circuito Inffinito de Festivais como ponte no contato com os distribuidores internacionais – tanto pequenas quanto grandes empresas -, o que permite que cada filme encontre o melhor modelo para o seu perfil, e anunciou que O Casamento de Romeu e Julieta ganhará um remake. Outro caso de sucesso, como citou Bianca de Felippes, foi o premiado Carlota Joaquina, vendido pela primeira vez no festival de Miami.” Mais informações no site http://www.brazilianfilmfestival.com/ny2011.html.