O Colégio Martinus, no centro de Curitiba, é palco da 25.ª Amostra de Teatro das Escolas da Rede Sinodal de Educação (Atese). Até hoje, cerca de duzentos alunos de treze escolas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul estarão participando da apresentação de espetáculos, debates, seminários e visitas aos teatros de Curitiba.

O evento, que começou anteontem, é também comemorativo aos 136 anos do Colégio Martinus ? o único de Curitiba a fazer parte da rede sinodal.

Para o diretor do Martinus, Luiz Paulo Mauhs, a iniciação teatral ainda na infância é muito positiva, uma vez que “o aluno tem a oportunidade de ser ele mesmo, dizer o que acha, o que pensa”. “Há casos de alunos extremamente introvertidos, que quando se iniciam no teatro simplesmente mudam. O teatro tem o poder de transformar a personalidade”, aponta. Além disso, continua o diretor, o teatro ensina, disciplina, impõe ordem e respeito.

No caso da Amostra de Teatro, que é realizado anualmente, o objetivo vai um pouco além. “É o momento de reunir as escolas, um evento altamente educativo e de confraternização”, cita. Muitas peças, inclusive, são escritas pelos próprios grupos.

No caso do Colégio Martinus, a opção em fazer artes cênicas se inicia na quarta série e segue até o terceiro ano do ensino médio. “As escolas procuram oferecer algo a mais no currículo, seja práticas esportivas, instrumentos musicais. No Martinus, há esse cuidado com o teatro”, explica Luiz Paulo.