O presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Edson Rezende, disse nesta terça-feira (19) que não tomará nenhuma atitude, "a princípio", sobre a decisão da assistente Ana Paula Oliveira de posar nua para a revista "Playboy". "É uma decisão de ordem pessoal", disse o dirigente, em nota curta publicada pelo site oficial da entidade em resposta aos "insistentes contatos feitos pela imprensa" – o que significa que Rezende não deve mesmo falar a respeito.

"Posteriormente, a Comissão de Arbitragem vai analisar as implicações que o episódio poderá trazer para o desempenho da assistente em sua função para em seguida adotar uma posição oficial", informou Rezende na nota.

Até agora, Ana Paula não atuou no Brasileiro porque está na "geladeira" desde o polêmico jogo entre Botafogo e Figueirense, nas semifinais da Copa do Brasil, quando apontou dois impedimentos duvidosos que acabaram sendo cruciais para a eliminação da equipe carioca.

A postura da CBF é a mesma adotada pelo chefe da arbitragem paulista, Marcos Marinho. Como a punição a Ana Paula já acabou, ela pode entrar no sorteio para a arbitragem dos jogos da sétima rodada, que será neste fim de semana – a definição será na quinta-feira, dia em que ela inicia as fotos para o ensaio na revista. Como fará a divulgação das fotos em julho e agosto, a assistente disse nesta terça-feira que só deve voltar a atuar em setembro.