Os principais medos dos "machos"
são retratados na comédia.

Se em Mulheres, peça teatral que esteve em cartaz no miniauditório do Teatro Guaíra por três temporadas, a intenção era abordar e discutir a vasta natureza do universo feminino, em Homens – do mesmo diretor de Mulheres, Fabiano Amorim, o elenco interpreta personagens estereotipados do homem contemporâneo. Com apoio da Casa do Produtor, texto e atuação de Caike Luna, os atores Marco Zenni, Breno Reis e Ade Zanardini encarnam, a partir de amanhã, os homens retratados pelas atrizes Karla Fragoso, Ludmila Nascarella, Fabiula Nascimento e Marcilene Moraes na primeira peça. Utilizando a mesma estrutura cênica, exceto pela dramaturgia, assim como as mulheres voltaram no tempo para resolver seus problemas vividos num futuro distante, dez mil anos além dos dias atuais, os homens também voltam no tempo para fugir e se libertar da dominação feminina.

No ano fictício de 12.005, milênios após um evento que teria mudado a realidade do planeta, homens são submetidos aos caprichos das mulheres, todas dominadoras. Em uma tentativa de mudar sua realidade prisioneira, quatro homens decidem voltar no tempo cerca de dez milênios. Tendo de enfrentar situações incômodas e dificuldades naturais e cotidianas do mundo atual, os personagens debatem de forma bem humorada os principais medos do ?macho? que habita a sociedade contemporânea. Sem levantar bandeira e longe de pregar apologias, homens de várias classes e orientações dão continuidade as discussões abordadas em Mulheres.

Com as situações retratadas no espetáculo feminino ganhando uma continuidade nessa nova montagem, os homens são um complemento do primeiro enredo. As peças são independentes, não havendo necessidade de assistir uma para compreender a outra. ?Da mesma maneira que as mulheres haviam refletido sobre sua busca interior, por meio de esquetes, os homens colocam um ponto de reflexão sobre seu orgulho e seu medo da submissão?, afirma Caike Luna.

Serviço:
Homens fica em cartaz no miniauditório do Teatro Guaíra até dia 11 de setembro, de quinta-feira a sábado às 21h e domingos, às 19h. Ingressos à venda na bilheteria do teatro por R$ 10 e R$ 5 (estudantes e classe artística). Mais informações pelo telefone (41) 3322-2628.