O corpo do músico Paulo Moura será velado amanhã, das 11 horas às 16h30, no Teatro Carlos Gomes, no centro do Rio de Janeiro. Em seguida, será realizada a cremação, no Memorial do Carmo, só com a presença da família. Paulo Moura morreu no fim da noite de ontem em decorrência de um linfoma, um câncer no sistema linfático. Ele tinha 77 anos e estava internado há nove dias na clínica São Vicente, no Rio.

Com mais de meio século de carreira, o saxofonista, clarinetista, compositor, arranjador e maestro era considerado um dos maiores nomes da música brasileira. Transitava com a mesma facilidade pelo popular e pelo erudito, e tinha forte ligação com o jazz.

Ele participou do histórico show de Bossa Nova no Carnegie Hall, em 1962, ao lado de Tom Jobim e Sérgio Mendes. Tocou com Elis Regina, Fagner, Milton Nascimento, Ella Fitzgerald, Nat King Cole, entre muitos outros, e lançou mais de 35 CDs solos.