A oficina prossegue até sexta-feira e faz parte do festival de Teatro de Bonecos, patrocinado pelo Sesi, que acontece neste fim de semana, no Parque Barigüi
Fernando Augusto Gonçalves, um dos mais conceituados artista do teatro de bonecos do Brasil abriu, nesta quarta-feira (30), a oficina ?Formas Animadas ? vertentes seculares e contemporâneas do patrimônio imaterial da história humana?. A oficina faz parte do Festival Sesi Teatro de Bonecos, que acontece neste fim de semana (dias 2 e 3), no Parque Barigüi, em Curitiba, e que vai mostrar o que há de melhor nesta arte no Brasil.

A oficina é gratuita e prossegue até sábado, das 8 horas às 12h30, na unidade do Sesi no bairro Boqueirão. Quem quiser participar pode se inscrever até esta quinta-feira (31), na própria unidade, pelo telefone (41) 3271-8900. As aulas são direcionadas a um público específico, formado por pessoas envolvidas com arte e educação ou que já tenham tido contato com o teatro de bonecos – como atores, bailarinos, artistas plásticos, músicos, cenógrafos, artesãos, produtores e animadores culturais, as aulas acontecem.

De acordo com Fernando Augusto Gonçalves, que também é curador do festival, a oficina tem o objetivo de ensinar os profissionais a ter um olhar diferente para o teatro de  bonecos. ?Queremos que eles percebam a dimensão e a tradição dessa arte no Brasil e no mundo. Ao aprender isso, o profissional terá outra postura diante do teatro de bonecos e se transformará em um multiplicador dessa cultura?, afirma Gonçalves.

Segundo ele, o festival é uma oportunidade única de mostrar o teatro de bonecos a públicos variados – de pessoas de classes mais altas às que têm pouco acesso à cultura. ?Nesses três anos de festival já levamos cerca de 460 mil pessoas para os espetáculos?, conta Gonçalves. Ele afirma que essa repercussão é a melhor forma de difundir a cultura do teatro de bonecos.

Para Northon Zanin, ator e bonequeiro de Curitiba, a oficina ajuda a aprofundar conhecimentos. ?O programa é amplo e permite que conheçamos as origens desse tipo de teatro, que considero uma das formas mais fáceis de levar de cultura para as crianças?, afirma Zanin.

Dilma Silva do Nascimento é bióloga e trabalha numa organização não-governamental que desenvolve projetos sociais para crianças. Com a oficina ela quer ampliar os trabalhos na ONG. ?Para mim está sendo uma ótima oportunidade de aprender a usar essa arte para, em atividades com as crianças, resgatar as origens da cultura brasileira?, afirma.

Durante os quatro dias da oficina os alunos têm acesso aos princípios básicos da linguagem cênica e aos processos de interpretação utilizados neste tipo de teatro. No conteúdo está a apresentação do boneco como elemento ritualístico das culturas primitivas. Será feita uma análise dos conceitos das culturas erudita e popular, com a abordagem de temas como folclore, sincretismo, interculturalismo, cultura afro-cubana, afro-brasileira e o mamulengo. No sábado (2), dando seqüência à oficina, os alunos participam no local do festival, podendo utilizar a exposição e a cenografia do evento.

Festival

É a primeira vez que o festival Sesi Bonecos do Brasil vem à Curitiba. Durante os dois dias do festival 13 companhias brasileiras apresentarão espetáculos e mostrarão ao público as variadas faces da arte do teatro de bonecos.

Alguns desses grupos são a Trip Teatro de Bonecos (SC), Giramundo (MG) ? uma das mais premiadas em todo o mundo ?, Cia. da Tribo, Truks (que recebeu os principais prêmios do teatro para crianças do País) e Teatro Ventoforte (que em 1974 apresentou a peça considerada marco do teatro para crianças no Brasil), os três de São Paulo, e Miyashiro Teatro de Bonecos, do Paraná.

No palco, crianças e adultos poderão conhecer diversas técnicas, como os bonecos de luva (marionetes e mamulengos), manipulação com vara e teatro de sombras, além do divertido desfile de bonecos gigantes de Olinda ? cidade considerada o berço dos bonecos no País.