Encravado no Centro da cidade, no meio do corre-corre dos ônibus e embalado pelo sino da catedral, nasce o mais novo espaço dedicado às artes cênicas em Curitiba, o Teatro Edson Bueno, na Galeria Pinheiro Lima, na Praça Tiradentes, 106. O novo espaço será aberto nesta quinta-feira, dia 10, com um ensaio aberto do grupo Delírio da peça Metamorphosis, que entra em cartaz no dia 17, fazendo parte da mostra Fringe, do Festival de Teatro de Curitiba.

O espaço na galeria do Centro da cidade passou por uma reforma total, melhorando as condições para o público que ocupar um de seus 257 lugares. Apesar de existir há dois anos e meio, como teatro da companhia, o local ganha agora a chancela do diretor Edson Bueno, um dos mais premiados do teatro paranaense. Rosângela Craveiro, atriz e produtora teatral que vem dirigindo aquele espaço, disse que desejava dar novo fôlego ao teatro. ?Primeiramente fiz a proposta para que o Edson trouxesse para cá as suas peças. Depois surgiu a idéia de reformar o local e dar o nome do diretor ao teatro. Eu acho que o Edson Bueno é um nome expressivo do teatro paranaense. É um profissional maduro que as pessoas respeitam. E ele merecia um espaço onde pudesse desenvolver sua linguagem teatral?, ressalta.

O desafio foi aceito pelo diretor e no início deste mês foram iniciadas as reformas do teatro. ?A minha proposta com este espaço é ter um local para que o Grupo Delírio possa estudar e pesquisar a linguagem teatral. Mas também queremos abrir o teatro para outros grupos que tenham afinidade com o trabalho do Delírio?, explica Bueno. Ele acrescenta que há também uma preocupação em tornar o teatro viável economicamente. Para isso, o teatro pretende oferecer produtos culturais que atraiam o público, sem esquecer a qualidade artística das produções. ?Vamos em busca do público que pode se interessar pelos espetáculos. Queremos promover as peças junto a escolas e oferecer outras alternativas?, destaca o diretor.

Rosângela enfatiza também que este novo teatro vai ao encontro da preocupação de revitalizar o Centro da cidade. ?Hoje em dia as pessoas têm poucas opções de lazer fora dos shoppings. Queremos trabalhar com esse público e trazê-lo para o teatro. Nosso empenho também será um trabalho de formação de platéia?, afirma.

O diretor Edson Bueno, que responde pela direção artística do teatro que leva seu nome, disse que o espaço deve acolher, neste ano, quatro trabalhos do Grupo Delírio: Metamorphosis, Toda nudez será castigada, As portas do céu e Quero sangue!. ?Com este teatro temos a possibilidade de nos dedicar ao desenvolvimento artístico do grupo. E vamos procurar obras que mostrem trabalhos com o imaginário do fantástico, do engraçado, do bizarro, do ?freak?, observa Bueno. Pare ele, assumir a direção de um teatro é também a possibilidade de manter um espaço com uma função cultural, artística e social. ?Temos que democratizar a cultura?, conclui.

Edson Bueno é ator, autor, diretor, produtor e roteirista. Há mais de dez anos está nos palcos encenando obras inovadoras como Paixão e morte segundo Nelson Rodrigues, Equus e O corvo, de Edgar Allan Poe. Como autor, Bueno também apresenta ao público suas inquietações e provocações. Seus textos já foram diversas vezes premiados. Um rato em família (88), por exemplo, ganhou naquele ano oito troféus Gralha Azul, entre os quais o de Melhor Autor. No ano seguinte Bueno seria escolhido como o melhor diretor por Uma visita para Frieda, prêmio que lhe foi concedido também em 90, pelo espetáculo New York por Will Eisner, em 91 por Pluft, o fantasminha e em 2000 por Onde estivestes à noite. Sem parar de encenar um só ano, Bueno acumulou diversas premiações como ator, autor e diretor, além de seus espetáculos terem revelado diversos atores.

Em 2002 Bueno encara um novo desafio: escrever para o cinema. E mais uma vez ele é bem sucedido: seu roteiro para o curta O fim do ciúme, levado às telas por Luciano Coelho, é escolhido como o melhor roteiro no Festival de Gramado. No ano seguinte, o paranaense ganha um novo Kikito pelo roteiro de Paisagem de meninos, dirigido por Fernando Severo. No ano passado Bueno dirigiu Investigação sobre o Adeus, e Martuin Maksimov. Neste ano uma nova montagem de Psicose. A comédia voltou aos palcos de Curitiba, com a Cia. Máscaras de Teatro. Sempre inquieto, Bueno agora encena Metamorphosis e prepara novas emoções para o público, num teatro que tem um pouco do seu jeito de entender a vida e de encarar a arte.

Serviço:

Ensaio aberto da peça Metamorphosis com o Grupo Delírio.

Data: 10.03.05, às 20h30, com convites dirigidos. Informações: 3015-8705.