No início, era um projeto de Jorge Fernando, impulsionado pelo sucesso de "Sexo, Amor e Traição", outra parceria da Total Entertainment com a Fox. Às vésperas do começo da filmagem de "Se Eu Fosse Você", Jorge se desligou da produção, mas não por qualquer tipo de atrito – tanto isso é verdade que ele tem uma pequena participação como ator. Na vaga de Jorge Fernando entrou o produtor associado, promovido a diretor, Daniel Filho. "Sempre soube que era o tipo do filme que eu poderia e até gostaria de fazer", ele contou, numa entrevista à Agência Estado.

Na versão que seria originalmente filmada, a trama sobre o casal que troca de corpos – a mulher indo parar no do marido e vice-versa – ia receber um tratamento de comédia escrachada. Daniel Filho retardou um pouco a filmagem para retrabalhar o roteiro. Ele queria dosar mais humor e drama, convencido de que "Se Eu Fosse Você" introduz uma novidade na situação tantas vezes explorada por Hollywood – "Houve mudanças de corpos entre pais e filhos, mães e filhas, até entre homens e mulheres, como em "Um Espírito Baixou em Mim", mas nunca entendi por que nunca trataram o tema no âmbito do casal, de forma a discutir a instituição do casamento." Foi o que o atraiu no material de "Se Eu Fosse Você". Não apenas ele – os atores Tony Ramos e Glória Pires também acham que o fato de ser entretenimento não impede o filme de dizer coisas sérias sobre a natureza das relações entre homens e mulheres.