O dicionário Aurélio é um dos principais glossários do idioma português no Brasil. Foi lançado pela primeira vez em 1975 e acabou se tornando fonte de consulta obrigatória tanto para estudantes e professores quanto para profissionais de diversas áreas que buscam escrever de maneira correta.

Neste mês de maio, se estivesse vivo, o criador do dicionário Aurélio, o professor de língua portuguesa e lexicógrafo alagoano Aurélio Buarque de Holanda (1910-1989), estaria completando cem anos de vida.

Em comemoração, a Editora Positivo, detentora dos direitos autorais de publicação do dicionário desde o ano de 2003, irá lançar uma edição comemorativa e limitada da obra.

“Será uma versão de luxo, numerada, que será distribuída a cem pessoas escolhidas pela editora por contribuírem com a sociedade por meio de suas atividades, valorizando a língua portuguesa e a educação”, explica o diretor-geral da Positivo, Emerson Santos.

Após ser lançado pela primeira vez, o Aurélio foi publicado nas versões Miniaurélio, Médio Dicionário Aurélio e Dicionário Aurélio Infantil da Língua Portuguesa.

“Como obra de referência constantemente atualizada e aprimorada, o dicionário Aurélio cresceu e modernizou-se, sem, contudo, descaracterizar-se ou fugir aos critérios estabelecidos pelo professor Aurélio, seu autor”, diz a lexicógrafa (autora de trabalho sobre o vocabulário) do dicionário Aurélio, Renata Menezes da Silva.

“O dicionário Aurélio é, sem dúvida, um dos grandes nomes da lexicografia da língua portuguesa, especialmente do português do Brasil. Assim, ele se mantém até hoje”.

Recentemente, o Aurélio também ganhou versões em CD-ROM e on-line, o que permitiu que a obra fosse consultada pelo computador. “Assim como todos os produtos da família Aurélio, as versões em CD-ROM e on-line também são bem aceitas pelo mercado. O CD-ROM atende a uma demanda de varejo, enquanto a versão on-line é voltada para atender o mercado corporativo”, comenta Emerson.