A cantora Dido ficou sem lançar nada por cinco anos, desde o corajoso Safe Trip Home. Se o disco anterior trouxe frescor ao pop desgastado dos best-sellers Life For Rent (2003) e No Angel (1999), o novo, Girl Who Got Away, não esconde suas pretensões conservadoras: retoma o passado glorioso para reacender o culto de uma legião de fãs apegada à hits como White Flag e Hunter, figurinhas fáceis na programação de qualquer FM adulta. A matemática é simples: bases eletrônicas, letras amigáveis e um quê de Enya camuflado em músicas suaves. Perto do estrago proporcionado por Jessie Ware ano passado, Dido fica pequena, mas se esforça. Recrutou o irmão Rollo Armstrong, do Faithless, para sustentar uma produção delineada em beats estofados, confortáveis o suficiente para abrigar as melodias agradáveis da charmosa britânica. A melhor do álbum é Blackbird, quando Dido se embrenha por estruturas mais intrincadas para contar a história de um homem que deixou sua família.

Dido – GIRL WHO GOT AWAY – Gravadora: Sony – Preço médio: R$ 27,89

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.