Se depender de Vinícius Coimbra, diretor de núcleo de Liberdade, Liberdade, o relacionamento de André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira) não ficar só em carinhos tímidos. Para ele, o horário em que a novela é exibida permite que o assunto seja tratado com mais ousadia e cenas mais explícitas, com inspiração ainda maior no filme O Segredo de Brokeback Mountain (2005).

“A homossexualidade nas novelas é sempre levada para o lado do afeto, não da atração sexual. Acho que, por ser uma novela das 23h, essa relação passa por uma coisa carnal. Junto com afeto, tem um tesão físico. Tenho vontade de dirigir uma cena de sexo gay entre os dois, mas vai depender do que o texto possa sugerir. Como é um tema polêmico, vou conversar com a direção da casa. O que eles defendem é que, se aquela relação for bem construída, vai ser aceita”, disse ele, em entrevista ao UOL