Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias

Mel Lisboa: ?Não me enxergam de outra maneira?.

Mel Lisboa trocou as longas madeixas por um moderníssimo corte chanel e mudou completamente o figurino. Mas ainda não se livrou do ?fantasma? da personagem Anita. Mesmo depois de longos seis anos após a estréia da minissérie Presença de Anita, na Globo, a atriz gaúcha volta a fazer uma personagem marcada pelo ?sex appeal?. Em Sete pecados, Mel interpreta a sonsa Carla baseada no ?pecado? luxúria que utiliza seu poder de sedução para conquistar seus mais corriqueiros desejos materiais, como sapatos e jóias. ?Não me enxergam de outra maneira! Tudo bem que esse lado sexual funcionou na Anita. Virou uma fórmula. Às vezes penso: ?Será que as pessoas só me vêem desse jeito? Poderia fazer outras coisas??, indaga, preocupada.

Entre uma garfada e outra de um generoso e multicolorido prato de salada, a atriz disseca sua trajetória como atriz na tevê com uma precisão quase cruel. ?Meu caminho é muito difícil. É o das atrizes que começam com um grande sucesso e, depois, as pessoas só a visualizam como a personagem?, avalia, com uma disfarçada frieza nos olhos azuis.

Na trama recheada de personagens pecadores, Mel assegura que a transgressão de Carla ultrapassa a luxúria. Inspirada na lendária Eve Harrington, papel de Anne Baxter no longa de 1950, A malvada, de Joseph L. Mankiewicz, a personagem se faz de boazinha para conseguir tudo o que deseja. Na verdade, é o protótipo da ambição e da inveja embalados com doses generosas de luxúria. Basta observar a dissimulada Carla cobiçando o boa-praça Dante, de Reynaldo Gianecchini. O personagem é seu cunhado na trama, casado com sua irmã Clarice, de Giovanna Antonelli. ?A Anita era visceral, passional. A Carla é uma cobra. Se faz de foférrima, mas é puro veneno. Chega a me dar angústia?, compara a atriz de 25 anos.

Apesar de condenar as atitudes da personagem, Mel garante que aceitaria o convite, independentemente do papel oferecido por Walcyr Carrasco, autor da trama. ?Quando ele me ligou, topei na hora. Faria o que ele quisesse. Não interessa se vou me repetir. Queria muito trabalhar com o Walcyr e com o Jorge Fernando?, derrete-se. Distante das novelas desde que interpretou a Lenita em Como uma onda, em 2004, Mel está em sua terceira novela das sete na Globo em 2002 viveu a Gabriela em Desejos de mulher. ?Nunca mais fiz um grande sucesso. É muito difícil se firmar como atriz. Ainda tenho de trabalhar muito?, pondera a atriz, que está com contrato na Globo até 2009.

Complicado mesmo tem sido se dividir entre as gravações no Rio e sua casa em São Paulo. Mel mudou-se do Rio há quatro anos com o marido Daniel Alvim, que atualmente vive o Danilo em Luz do Sol, na Record. Como está sempre na ponte-aérea, Mel assegura que sua maior preocupação é a preguiça para freqüentar uma academia, pela instabilidade de seus horários. Com isso, procura manter a forma com uma alimentação mais equilibrada, baseada em ingredientes como verduras, legumes e carnes magras. ?Mas ando uma negação, tomando cerveja numa segunda à noite com os amigos e me enchendo de chocolate na frente da tevê?, assume a atriz, com uma charmosa cara de moleca.

Na verdade, ela chega a assumir que tem o dom de despertar a luxúria com seu jeito dissimulado. Tanto que até chegou a pensar em interpretar a prostituta Bruna Surfistinha no cinema. A personagem, baseada na história da garota de programa que se transformou no livro O doce veneno do escorpião, chegou a aguçar a curiosidade de Mel. Mas a atriz achou melhor deixar de fora tanta lascívia e garante que desistiu de viver a moça libidinosa no longa que deve ser filmado em breve. ?Não posso ficar martelando nessa história de ser a gostosa. Dá muito trabalho: tem de malhar, viver de dieta. Daqui a pouco tem de colocar peitão. Assim não dá!?, diverte-se, com seu jeito Anita de ser.