Há tempos fora de catálogo, os CDs "Ná" (1994) e "Estopim" (1999), da cantora e compositora Ná Ozzetti, acabam de ser relançados pela MCD, a mesma que colocou este ano no mercado o belo CD "Voz & Violão", dela e André Mehmari. Além do projeto gráfico caprichado, com direito a textos testemunhais de Ná, e som remasterizado, os dois discos chegam reforçados com uma faixa bônus cada um – que, originalmente, deveriam ter entrado no repertório, mas acabaram ficando de fora.

Para o CD "Ná", a cantora resgatou de uma velha fitinha a canção "Só te Ver", parceria dela com o amigo Itamar Assumpção. "Ela não entrou na época, porque estávamos demorando muito para terminar o disco, tínhamos de concluí-lo e faltavam ainda detalhes para finalizar essa música", conta Ná. "Eu quase nem lembrava dela. É inédita: não foi gravada, nem cantada em shows." Foi uma de suas primeiras parcerias com Assumpção. "O Itamar era muito compulsivo para criar. Quando eu estava pensando em gravar ‘Ná’, mostrei algumas canções minhas para ele e ele começou a compor para o disco."

Junto ao compositor Luiz Tatit, outro parceiro e amigo, Itamar Assumpção chegou a idealizar um projeto só com composições dos dois, interpretadas por Ná Ozzetti. Segundo a cantora, a idéia de Assumpção e Tatit era lhe entregar 12 canções no dia 12 de dezembro, dia do aniversário dela, em 2003. O compositor morreu naquele mesmo ano e deixou apenas cinco canções prontas com Luiz Tatit. "O Tatit me entregou um CD com essas músicas. Tenho vontade de incluí-las no meu próximo disco."

E se "Só te Ver" precisou de atenção maior, já que nem chegou a ser gravada em 94, Ná teve menos trabalho com "Batuqueiro" (que assina com Tatit), que havia sido mixada na gravação de "Estopim". "Na época, achava que o disco estava longo e resolvi tirar essa canção."

"Ná" e "Estopim" são projetos mais autorais, que foram acompanhados de perto pela cantora em diversas frentes, desde a idealização até a interpretação. "Cada disco representa uma fase da minha carreira, que vem de uma evolução da atuação artística" avalia. "Em ‘Ná’, compus pela primeira vez, com sensação de muita autonomia. Em ‘Estopim’, há a mesma sensação, mas com maturidade maior e o desenvolvimento de um trabalho em grupo." E neste ano, o CD "Ná Ozzetti", sua estréia como artista-solo, também deve voltar às prateleiras.