Marcela promove eventos em Londrina.

A londrinense Marcela, promotora de eventos de 25 anos, e o empresário curitibano Buba, 32, sócio do Bar Brasil, na Avenida Batel, são os representantes do Paraná na quarta edição do Big Brother Brasil. Também participam do programa a modelo argentina Antonella, 21; os fluminenses Cristiano, gerente de loja de 29 anos, e Zulu, atleta de 23 anos; o publicitário mineiro Eduardo, 24; a enfermeira paraibana Géris, 30; a estudante brasiliense Juliana, 23; os gaúchos Marcelo, professor de Educação Física de 31 anos, e Natália, modelo de 18 anos; e os paulistas Marco Antônio, DJ de 34 anos, Rogério, 25, jardineiro de cemitério; Solange, frentista de 25 anos, e Tatiana, 21, estudante.

O BBB continua com o prestígio em alta na Globo. Afinal, além de suprir o buraco deixado pelas produções em férias na emissora, é o mais bem-sucedido exemplar do gênero “reality-show” já testado no País. Prova disso é que, três meses antes da estréia da quarta edição do BBB, a emissora já havia vendido as quatro cotas de patrocínio, no valor de R$ 5 milhões cada. Nem o fracasso retumbante de O Jogo, versão menos interativa do brinquedo Detetive, da Estrela, que registrou pífios 13 pontos de audiência, conseguiu arranhar a imagem do BBB, que reestréia na próxima terça, dia 13, logo após Casseta & Planeta, Urgente!. Dirigida por José Bonifácio de Oliveira, o Boninho, a quarta edição do BBB não apresenta nenhuma novidade relevante em relação às edições anteriores, salvo umas poucas mudanças de natureza estética e operacional, como a decoração da casa e as provas de eliminação. “O tipo de programa ocupou um espaço em todo mundo. Só na tevê aberta dos EUA estão no ar mais de 20 “realities”. Na tevê por assinatura, outros cinqüenta. Alguns podem fazer mais sucesso que outros, mas o gênero chegou para ficar”, analisa o diretor.

De novidade na quarta edição do BBB só mesmo a promoção da revista Quero Ser um Big Brother, um caça-níquel lançado pela Editora Globo a R$ 2,00 por exemplar. Dois dos catorze participantes da nova edição do programa foram escolhidos por sorteio dos cupons encartados na revista, a exemplo do que o SBT já havia feito com o “game” Show do Milhão. A revista Quero Ser um Big Brother foi vendida entre 26 de outubro e 5 de janeiro e, embora ninguém na Editora Globo divulgue números ou cifras, a estimativa é que as vendas tenham chegado a 3 milhões de exemplares. “A promoção funciona como uma ?segunda chance? para quem quer participar, mas acredita não se enquadrar no perfil de escalação. O sorteio pode contemplar qualquer um, que vai entrar na casa e disputar o prêmio de R$ 500 mil em igualdade de condições com os demais participantes”, garante Boninho.

Além de selecionar mais dois candidatos – um do sexo masculino, vaga disputada por Marco Antônio e Zulu, e outro do feminino, Solange ou Natália -, a promoção Quero Ser um Big Brother vai sortear catorze “padrinhos” para os concorrentes da casa. “O padrinho do vencedor vai ganhar um carro e os outros 13, uma televisão”, adianta o diretor. Na esperança de ganhar um carro zero-quilômetro, os “padrinhos” vão ter de caprichar na hora de organizar a torcida por seu “afilhado” nos “paredões” das terças-feiras, em brincadeiras e atividades ainda não divulgadas pela Globo.

Os doze demais participantes do programa, porém, foram escolhidos mesmo pelo processo convencional. Este ano, a Globo contabilizou 70 mil candidatos, o mesmo número de inscritos na edição anterior, exibida entre janeiro e abril de 2003, mas um número bem inferior ao registrado na primeira edição, de janeiro a abril de 2002, que chegou a 500 mil. “Nas duas últimas edições, as inscrições foram feitas por meio de envio de fitas e de preenchimento de questionários. Na do primeiro programa, não. Era necessário apenas o preenchimento do questionário. Por isso, não se pode fazer tal comparação”, ressalva o diretor. Embora o número de inscritos seja igual ao do ano passado, Boninho garante que a atual seleção foi a mais difícil e cansativa de todas. “A qualidade dos candidatos estava realmente muito boa, o que atesta a identificação cada vez maior do público com o formato do programa” raciocina.

No mais, a Globo resolveu ampliar a interatividade na quarta edição do BBB. A Endemol, empresa holandesa que detém os direitos do Big Brother, ofereceu à emissora cerca de 30 alternativas de interação com o público. Uma das aprovadas é o Big Boss -Quem Manda É Você, quadro que vai ser exibido às quintas-feiras no programa. Nele, o público vai poder escolher, por telefone ou via internet, alguns detalhes da rotina dos participantes, como as festas temáticas ou as provas de resistência. “A maior novidade do BBB são sempre os moradores da casa. São eles que fazem a grande diferença de um programa para o outro”, valoriza o diretor.