Ele, que se iniciou na música aos 8 anos, diz que esse prêmio é o ápice  da sua carreira.

O cantor, compositor e instrumentista pernambucano Dominguinhos será o homenageado da 6ª edição do Prêmio TIM de Música. A grande festa acontece no dia 28 de maio, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Até agora, já foram confirmadas as participações de Gilberto Gil, Vanessa da Mata, Nana Caymmi e o trio de forrozeiros Flavio José, Genival Lacerda e Jorge de Altinho.

Mesmo já tendo ganhado prêmios como o Grammy Latino, em 2002, Dominguinhos acredita que o Prêmio TIM seja o ápice da sua carreira e se diz muito feliz com o prêmio. ?É uma homenagem grandiosa que nunca recebi, que vem para coroar esses anos todos de estrada e os muitos discos gravados. É uma felicidade muito grande?, afirmou.

Dominguinhos iniciou sua carreira aos oito anos de idade. Pouco depois, conheceu Luiz Gonzaga e passou a fazer parte da vida do lendário Rei do Baião. Além de convidá-lo para sua banda, o próprio Gonzagão o ajudou a produzir o primeiro disco, em 1964.

Com mais de 40 discos gravados, Dominguinhos se destacou como autor de sucessos populares como Isso aqui tá bom demais, Eu só quero um xodó e De volta para o aconchego, celebrizado por Elba Ramalho, com quem gravou um CD em 2005. Entre seus parceiros estão Chico Buarque (Tantas palavras, Xote da navegação), Djavan (Retrato de vida) e Gilberto Gil (Lamento sertanejo). Como instrumentista, acompanhou Caetano Veloso, Gal Costa e Rita Lee. Como novo projeto, Dominguinhos deve entrar na onda dos DVDs ao vivo, que está previsto para ser lançado até o fim do ano.

Sucesso

Vanessa da Matta e Gilberto Gil são
participações confirmadas na festa que será realizada dia 28 de maio,
no Rio. O ministro da Cultura é quem fará a homenagem.

Num momento de reflexão sobre sua carreira, Dominguinhos lembra dos amigos Gilberto Gil e Gal Costa, que o ajudaram antes do sucesso. ?Quando minha música estava por baixo e ninguém queria ouvir som de sanfona, a Gal me admitiu na banda dela, quando fiz junto o disco Índia. Foi quando comecei a tocar para o público universitário?, relembra.

Público curitibano

Público universitário amante do forró que se estendeu pelo Brasil afora nos últimos anos, inclusive Curitiba. Já tendo tocado em Curitiba no Vasquinho, Dominguinhos define o público daqui como mais observador. ?É um público que não cai no embalo à toa. Talvez por estar mais acostumado ao teatro, onde normalmente as pessoas ficam sentadas apreciando o espetáculo, a princípio demonstram a mesma postura numa apresentação de forró, e só depois vão se soltando?, disse.

O ministro Gil

Já na avaliação do grande amigo Gilberto Gil como ministro da Cultura, Dominguinhos acredita que ele jamais deveria ter entrado na política. ?Acho que o Gil entrou para tirar uma onda e acabou se saindo bem, mas ali não é o lugar dele, e sim na música, como grande músico e compositor que ele é?, opinou. Para ele, músico pensa muito com o coração, o que não combina com um cargo político. ?Acredito mais num burocrata para o cargo. Músico geralmente tem o coração muito grande, não sabe muita coisa, e outras pessoas podem passar a decidir por ele?, refletiu Dominguinhos.

Prêmio TIM

Premiar os mais de 60 anos de carreira de Dominguinhos é o objetivo desta edição do Prêmio TIM de Música, idealizado e coordenado por José Maurício Machline. ?O Prêmio TIM tem a preocupação de reverenciar grandes nomes. Dominguinhos merece a homenagem. É um artista essencial para a música brasileira. Ele deu alcance nacional aos ritmos nordestinos e aperfeiçoou a arte de Luiz Gonzaga?, analisa Machline.

Na lista de personalidades já homenageadas da premiação -que alterna artistas vivos e outros falecidos – figuram os nomes de Ary Barroso (2003), Lulu Santos (2004), Baden Powell (2005), Jair Rodrigues (2006) e Zé Ketti (2007).

Além de privilegiar grandes nomes do cenário nacional, o Prêmio TIM de Música avaliza carreiras de artistas iniciantes ou com expressão de alcance regional. Um júri formado por músicos, jornalistas e críticos analisa a produção fonográfica brasileira do ano anterior – seja ela gerada via gravadoras ou de forma independente – e elege os melhores de cada categoria, sob a supervisão de uma auditoria externa. ?A TIM entende a grande relevância da música brasileira, inclusive no cenário mundial, onde já é uma referência. Por isso a importância de investir em iniciativas como esta, que reafirmam os valores da cultura nacional?, afirma José Luiz Liberato, diretor de Imagem e Publicidade da TIM.

O Prêmio TIM de Música é um dos pilares do Projeto TIM Música, ao lado do TIM Festival, que acontece todo ano, e do projeto social TIM Música nas Escolas, que já beneficiou mais de 20 mil crianças em 13 cidades do Brasil. Também integra o TIM Música o Auditório Ibirapuera, projeto original de Oscar Niemeyer construído pela TIM e doado à cidade de São Paulo no aniversário de 450 anos da cidade.