Trinta anos após a estréia de “O poderoso chefão”, de Francis Ford Coppola, a saga da família Corleone continua seduzindo Hollywood, levando a editora Random House a buscar um autor para um novo romance, cujos direitos para o cinema já foram comprados pela Paramount. A editora, que publicou os livros do criador da saga, Mario Puzo, falecido há três anos, quer uma seqüência que tenha como protagonistas os mesmos personagens que deram fama ao escritor ítalo-americano.

Puzo, nascido em Nova York em 1920, tinha US$ 20 mil em dívidas e uma família com cinco filhos quando começou a escrever “The godfather”, o romance no qual Coppola baseou o primeiro filme da série em 1972, tendo Marlon Brando como protagonista. O livro, publicado em 1969, teve mais de 20 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

“Adoro a série e continuo pensando naqueles personagens. Gostaria de saber o que aconteceu depois”, comentou Jonathan Karp, diretor executivo e vice-presidente da Random House num e-mail enviado a agentes literários. “São personagens que fascinam até hoje. Mario me disse uma vez que gostaria de ter trabalhado mais a respeito de Sonny Corleone, e certamente há muito mais o que falar sobre o cantor Johnny Fontaine”, declarou Karp.

A Paramount, produtora dos três filmes dirigidos por Coppola, já fez o contrato para levar às telas o novo romance, que poderá ser ambientado antes, durante ou depois da trilogia original. Os fãs da série gostariam de saber o que aconteceu a Michael Corleone após ver sua filha Mary morrer na escadaria do Teatro Massimo de Palermo, ou que fim teve seu sobrinho Vincent, o herdeiro direto do império mafioso de Don Vito Corleone.

Karp esclareceu que busca alguém que “se encontre mais ou menos no mesmo nível da carreira” de Puzo quando começou a escrever o primeiro livro sobre a família Corleone. “Com dois romances às costas e um estilo no meio do caminho entre o macabro e o cômico”, observou, acrescentando que o novo autor será escolhido pela editora e os herdeiros de Puzo em base a um resumo de cinco ou dez páginas.