Está sendo um ano de grandes interpretações masculinas no cinema americano. Sem esforço, você pode apontar quatro ou cinco candidatos à indicação para o Oscar e depois conferir quantos vão concorrer ao prêmio da Academia de Hollywood – Philip Seymour Hoffman, por Capote; David Strathairn, por Good night, and good luck; Joaquim Phoenix, por I walk the line; Ralph Fiennes, por O jardineiro fiel; Bill Murray, por Flores partidas. As grandes interpretações femininas são mais reduzidas, mas você pode apontar agora, de uma tacada, duas possíveis candidatas a melhor atriz e uma coadjuvante – Cameron Diaz está ótima em Em seu lugar, o novo filme de Curtis Hanson, que estreou nesta sexta-feira, mas melhores ainda são Toni Collette, como sua irmã, e Shirley MacLaine, como a avó.

São Paulo (AE) – Curtis Hanson é um dos mais talentosos diretores americanos de sua geração. Começou como um aplicado profissional do cinemão, mas depois que redimensionou seu projeto de cinema com o poderoso Los Angeles – Cidade proibida, não errou uma. Vieram, na seqüência, Garotos incríveis, 8 Mile – Rua das ilusões e agora esse magnífico Em seu lugar. No original, é In her shoes.

A metáfora dos sapatos é muito forte no filme. Toni é uma advogada totalmente dedicada ao trabalho, que se compensa de suas carências comprando sapatos. Cameron é a irmã estabanada que vive usando os sapatos da irmã – e, numa cena, vai para a cama com o único namorado que Toni conseguiu arranjar. Toni surta e a expulsa de casa. Sem rumo, Cameron descobre a existência de uma avó que nem sabia possuir. Instala-se na casa dela, a princípio para roubar. Ao longo de um processo que corria o risco de ser banal, mas é rico, a doidivanas assume a sua segunda chance e evolui como pessoa.