tv11041204.jpg

Bianca Castanho e
Cláudio Lins em Esmeralda.

A média de 12 pontos de Seus Olhos não desanimou o SBT a investir nas tramas mexicanas produzidas no Brasil. Estréia amanhã, às 20h30, a novela Esmeralda. Trata-se de um "remake" nacional da novela da emissora mexicana Televisa de mesmo nome, escrita por Délia Fiallo e já exibida em sua versão original no próprio SBT em 2000. "Espero que possamos voltar aos índices anteriores, média de 15 pontos no Ibope", torce o diretor-geral David Grimberg. Como de costume, a adaptação brasileira procura aproximar a trama original aos costumes brasileiros. "Os cenários são típicos do nosso país", assegura David. As externas são feitas próximas à capital paulista, na região rural de Jundiaí, Piracaia e Bragança Paulista.

O principal enredo da novela é a história da cega Esmeralda, que é criada por uma camponesa, mas, na verdade, é filha de um rico fazendeiro. A protagonista é vivida por Bianca Castanho, que sentiu "arrepios" ao ler o perfil de Esmeralda. "Senti medo porque nunca tive contato com esse universo", esclarece. Para se sair bem na hora de interpretar "no escuro", a atriz freqüentou, antes de iniciar as gravações, a Associação Fluminense de Auxílio aos Cegos, em Niterói. Ela contou também com a ajuda de uma professora de orientação e habilidade que lhe passou vários exercícios, entre eles o de ficar com os olhos vendados. "Minha maior preocupação é passar naturalidade nas cenas", conta. Apesar do esforço, em certas cenas Bianca se defronta com alguns obstáculos. "Uma vez esqueci completamente que estava interpretando uma cega. Fui regar umas flores e olhei descaradamente para o vaso", lembra aos risos.

Drama

Esmeralda cresce como uma pobre camponesa porque foi trocada por outra criança poucos minutos depois de nascer. Sua mãe Branca, interpretada por Lucinha Lins, tem complicações ao dar à luz e a parteira, imaginando que a menina estava morta, resolve trocá-la por um menino sadio, que momentos antes havia ficado órfão. "Branca é amorosa e submissa ao marido. Quando ela descobrir a troca, vai lutar com todas as forças pela filha que ‘perdeu’", defende Lucinha Lins.

Enquanto Esmeralda leva uma vida simples, José Armando, vivido por Cláudio Lins, é criado com todo conforto. Vinte anos depois, ele e Esmeralda se encontram e nasce uma grande paixão. Empolgado com o primeiro trabalho no SBT, Cláudio aprovou as locações das gravações já que sente muito bem no "clima" de fazenda e conta que não teve dificuldades para compor seu personagem. "Minha família sempre teve sítio em Teresópolis no Rio. Não sou nenhuma jóquei, mas lá aprendi a andar de cavalo", assegura. Outro motivo de ânimo para o ator é o fato de contracenar com Lucinha, sua mãe. "Estou tranqüilo por já ter trabalhado com ela outras vezes", confessa.

Entre outros assuntos, a novela vai abordar o transplante de córneas – tema, aliás, também explorado em América, que vai substituir Senhora do Destino na Globo. O médico Lúcio, personagem de Delano Avelar, vai gerar um dilema. Ele sabe que Esmeralda tem possibilidades de enxergar novamente, mas não faz a cirurgia para que ela não veja seu rosto que tem a metade da face queimada. "Ele é apaixonado por ela e tem receio de ser rejeitado", justifica Delano. Para interpretar o vilão, Delano Avelar tem que usar uma máscara, mas não se incomoda nem um pouco com adereço. "Na verdade, estou curioso para saber como será essa minha experiência", confessa.