No ano em que é comemorado o centenário da imigração japonesa no Brasil, a capital paranaense está recebendo a visita de adolescentes japoneses, entre 15 e 17 anos de idade, dentro de um programa de quatorze dias de intercâmbio cultural promovido pelo Grupo Educacional Positivo. Os jovens são provenientes de Himeji (cidade “irmã” de Curitiba), na Província de Hyogo, e estão hospedados em casas de famílias.

Na manhã de ontem, eles realizaram uma visita ao Museu Paranaense, onde conheceram um pouco da história e das tradições paranaenses. No local, no próximo dia 19, acontece a abertura da exposição Japoneses no Brasil: presença e reflexo na sociedade paranaense, que irá mostrar alguns objetos trazidos pelos primeiros imigrantes que vieram do Japão para o Brasil.

“Todos os estudantes estão no Brasil pela primeira vez. O objetivo da visita é conhecer e entender as diferenças culturais entre brasileiros e japoneses. Na maioria das vezes, os japoneses se impressionam principalmente com o comportamento amistoso dos brasileiros e com a proximidade entre homens e mulheres”, afirmou a representante da Associação Internacional Himeji (Himeji International Association), uma das responsáveis pela vinda dos estudantes, Tamaki Hiramatsu.

Questionados sobre as principais diferenças entre brasileiros e japoneses, os estudantes de Himeji confirmaram o que foi dito por Tamaki. A estudantes Miki Takahashi, de 16 anos, contou que, logo que chegou ao Brasil, estranhou a maneira como os brasileiros se cumprimentam, com beijos e abraços.

Entretanto, achou o comportamento amistoso. Ela também falou sobre o sistema de transporte de Curitiba. “Tem o mesmo conforto e conveniência do sistema que utilizamos em Himeji. A diferença é que aqui as pessoas usam ônibus e lá utilizamos trens”, declarou.

Já os jovens Junya Miyashita e Takuma Chokyu, também de 16 anos, destacaram o modo como os estudantes brasileiros vão para a escola. “Aqui, os pais levam seus filhos para o colégio ou os estudantes pegam ônibus para chegar à escola. Em Himeji, vamos sozinhos, de bicicleta. Notamos que, no Brasil, também se utiliza pouco a bicicleta em comparação com o Japão.”

Na visita dos estudantes a Curitiba também estão previstos jantares de confraternização, momentos livres com famílias brasileiras, encontros com representantes do Japão no Brasil e passeios a pontos turísticos da capital paranaense e do Estado de Santa Catarina.