Começa no próximo domingo, dia 14, os desfiles das escolas de samba do grupo especial do Rio de Janeiro. Há alguns anos a maior festa popular do planeta nunca foi tão equilibrada.

Explica-se: das 12 escolas que vão desfilar na Marques de Sapucaí pelo menos sete tem condições reais de gritar “é campeã” na quarta-feira de cinzas. Tudo depende de como a cabeça genial dos carnavalescos vão conduzir suas agremiações na avenida.

Quais serão as surpresas dos fantásticos carros alegóricos. Como serão as alegorias e os adereços. As surpreendentes comissões de frente e, principalmente, de que forma os quase quatro mil componentes de cada uma delas vão passar pelo sambódromo carioca.

A Acadêmicos do Salgueiro é uma das favoritas ao bicampeonato. Vários indicadores apontam para esse prognóstico. Em primeiro lugar o samba enredo História sem fim é muito bom.

Conta a história dos livros e permite belas coreografias. Tem também a força do indefectível intérprete Quinho e da bateria -apelidada com muita propriedade como “A Furiosa” (que por sinal é um dos pontos fortes da vermelha e branca da Tijuca) -levantando o público.

A Imperatriz Leopoldinense esse ano promete levantar a avenida com o enredo Brasil de todos os Deuses, proposto pelo carnavalesco Max Lopes. Na Marques de Sapucaí a escola vai mostrar um pouco de cada religião do budismo ao candomblé, passando pelo hinduísmo até o catolicismo. Quem sabe os santos podem ajudar a verde-branca a conquistar o carnaval.

A vitoriosa carnavalesca Rosa Magalhães que está na fila de um título há alguns anos e promete surpreender na simpática União da Ilha, primeira escola a desfilar no domingo (veja box). O enredo D. Quixote de la Mancha… o cavaleiro dos sonhos impossíveis é criativo e utiliza a figura do mitológico personagem de Cervantes na festa carioca.

A Beija-Flor é outra escola sempre favorita. Com desfiles impecáveis nos últimos anos, em 2010 ela comemora o aniversário de cinquenta anos de Brasília tendo cuidado de não falar da política atual – com o enredo Brilhante ao sol do novo mundo, Brasília: do sonho à realidade, a capital da esperança.

Há ainda a seu favor a enorme participação da comunidade de Nilópolis participando do desfile. Isso dá uma vantagem muito grande de harmonia e evolução em relação as outras escolas.

Outra agremiação que vem com tudo no carnaval deste ano é a Vila Isabel que apresenta: Noël: a presença do “poeta da vila”, composto por ninguém menos que Martinho da Vila (que ganhou um carnaval com Kizomba- festa da raça).

A escola vem com tudo para comemorar o centenário de seu maior poeta: o grande Noel Rosa. Um samba belíssimo que com certeza vai emocionar na avenida.

Correndo por fora está a Unidos da Tijuca, uma escola que cresce e empolga durante o desfile. Nesse ano ela tem a seu favor um ótimo samba É segredo! do carnavalesco Paulo Barros que vai mostrar alguns dos grandes mistérios da civilização. Pode ser uma zebra do carnaval.

Finalmente vem a Mangueira, última escola a desfilar na segunda-feira. A tradicional verde e rosa é sempre favorita pelo seu enorme apelo popular que levanta a arquibancada quando entra na avenida.

O samba é um dos mais bonitos do ano: Mangueira é a música do Brasil com uma colagem dos grandes momentos da música brasileira e, dessa vez, fazendo uma justa homenagem ao seu grande criador: o mestre Cartola.

Sobram cinco escolas que vão brigar para não cair: A Porto da Pedra com um enredo sobre a história da roupa Com que roupa… eu vou? Pro samba que você me convidou.

A Portela (de Paulinho da Viola e Marisa Monte) que mais uma vez não acertou com o ,samba confuso Derrubando fronteiras, conquistando a liberdade, o Rio de paz em estado de graça.

A Mocidade Independente de Padre Miguel tem um bom refrão (que talvez lhe ajude na avenida), mas o samba Do paraíso de Deus ao paraíso da loucura, cada um sabe o que procura, não é dos melhores.

Disputando o título de fiasco carnavalesco de 2010 ficam a Viradouro e a Grande Rio. Na primeira, apesar da riqueza da escola, o enredo é muito fraco e o samba México, o paraíso das cores, sob o signo do sol é sofrível.

Já a Grande Rio escola de nove entre dez atores globais resolveu fazer um “samba homenagem” ao camarote de uma famosa cervejaria no enredo Das arquibancadas ao camarote Nº 1… um “Grande Rio” de emoção na apoteose do seu coração, que é péssimo.

É claro que quando começarem os desfiles tudo isso pode mudar, pois, uma das características mais apaixonantes do carnaval do Rio de Janeiro é a criatividade e a capacidade de surpreender dos seus carnavalescos. Façam suas apostas e bom carnaval!

Bárbara Magalhães/ Divulgação
Viviane Araújo, Rainha da Bateria da Salgueiro, também favorita.

Serviço

Ordem de desfile do grupo especial
 
Domingo (14/02/2010)
Às 21 h – 1ª União da Ilha
Entre 22h05 e 22h20 – 2ª Imperatriz Leopoldinense
Entre 23h10 e 23h40 – 3ª Unidos da Tijuca
Entre 0h15 e 1 h – 4ª Viradouro
Entre 1h20 e 2h20 – 5ª Salgueiro
Entre 2h25 e 3h40 6ª Beija-Flor
 
Segunda-Feira (15/02/2010)
Às 21 h – 1ª Mocidade Independente
Entre 22h05 e 22h20 – 2ª Porto da Pedra
Entre 23h10 e 23h40 – 3ª Portela
Entre 0h15 e 1 h – 4ª Grande Rio
Entre 1h20 e 2h20 – 5ª Vila Isabel
Entre 2h25 e 3h40 – 6ª -Mangueira