Pouco afeito a grandes eventos, autor de discursos que muitas vezes se resumem ao agradecimento, o escritor Bernardo Carvalho deverá passar por nova ‘provação’ ao receber hoje o Prêmio Jabuti de melhor romance do ano passado por Mongólia (Cia. das Letras), em cerimônia que ocorre no Memorial da América Latina, em São Paulo. No evento, também receberão estatuetas os vencedores em outras 16 categorias.

Entre eles, estão Caco Barcellos (vencedor da categoria Reportagem e Biografia, por Abusado), Alexei Bueno (categoria Poesia, por Poesia Reunida), Sergio Sant’Anna (categoria Contos e Crônicas por O Vôo da Madrugada), Vera Rosenthal (categoria Capa, por Mínimos Múltiplos Comuns) e Ivan Zigg (categoria Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil, por Com a Pulga atrás da Orelha).

A categoria mais disputada foi a Infantil ou Juvenil que na primeira apuração, apresentou um empate entre sete títulos em primeiro lugar. Depois de nova avaliação, o júri do 46.º Prêmio Jabuti escolheu Fábulas do Amor Distante, de Marco Túlio Costa.

Todos os vitoriosos vão concorrer ainda ao prêmio máximo do Jabuti, o Livro do Ano de ficção e o Livro do Ano na categoria não-ficção, escolhidos por profissionais de todo o meio editorial. Os dois vencedores, que serão conhecidos no final do evento, receberão prêmio de R$ 15 mil cada um.

Bernardo Carvalho derrotou pesos pesados como Luiz Antônio de Assis Brasil, cujo A Margem Imóvel do Rio ficou em segundo lugar, e Chico Buarque de Holanda, Budapeste, terceiro lugar.