A encenação estabelece uma relação direta com a obra de Machado de Assis, Dom Casmurro. Além disso, diferente de outras adaptações, permite que o público ?entre? em cena através da interação constante dos personagens com a platéia. ?É um espetáculo montado para estabelecer um painel crítico, às vezes emotivo, outras vezes dramático?, evidencia o diretor, Edson Bueno. ?Capitu ? Memória Editada?, do grupo Delírio Cia. de Teatro, é a peça que encerra o 22º Festival de Teatro de Cascavel nesta quinta-feira (26) e será apresentado às 20h30, no Centro Cultural Gilberto Mayer. A entrada custa R$ 10 (estudantes pagam meia).

Sem perder a essência da história original, ela é contada ao público com uma dose de mistério. Edson Bueno superou um desafio para adaptar Dom Casmurro para linguagem teatral, trazendo para a cena uma das riquezas da literatura, que lhe foi transmitida na adolescência. O diretor leu o livro exatamente oito vezes para perceber as sutilezas e ironia do autor.

Segundo Bueno, a montagem remete ao relato do protagonista Bentinho que, na velhice, relembra a história que teve com seu primeiro e único amor, Capitu. ?O que se lê nesta obra de Machado de Assis nem sempre é o que aconteceu, mas o que o personagem viveu e sentiu. Na encenação, assim como no romance, a verdade e mentira se misturam e nunca se estabelece a certeza das palavras ditas e das ações vivenciadas?, explica o diretor.

O drama é uma adaptação diferente de Dom Casmurro, sendo que o diretor reconta a história através da ótica de Capitu. No elenco: Janja, Regina Bastos, Luiz Carlos Pazello, Elder Gattely e Marcelo Rodrigues. O drama tem duração de 90 minutos e é aconselhável para maiores de 12 anos.

Grupo Delírio

A companhia foi fundada em Curitiba, em 1984. Neste período, encenou mais de 20 espetáculos de variados autores entre Nelson Rodrigues, Peter Shaffer, William Shakespeare, Plínio Marcos, sendo uma das companhias mais antigas do teatro curitibano. Como autor, Edson Bueno também já estreou textos inéditos que angariou prêmios aos integrantes do grupo. Alguns de seus destaques são ?New York por Will Eisner? (sobre a obra do grande cartunista), ?Vermelho Sangue Amarelo Surdo? (biografia/poema de Van Gogh) e ?Onde Estivestes à Noite? (sobre as obras de Julio Cortazar e Clarice Lispector).

O grupo coleciona mais de 60 prêmios, sendo que três deles foram conquistados com o espetáculo ?Capitu?, em 2006, como melhor espetáculo, melhor direção e melhor texto.

Premiação

Nesta quinta-feira, após a apresentação, o público conhecerá os vencedores da competição do 22º Festival de Teatro de Cascavel. Todos os grupos receberão certificados de participação e haverá bonificação em dinheiro no valor de R$ 1 mil para o melhor espetáculo adulto e R$ 1 mil para melhor espetáculo infantil.

No total, quatro companhias infantil e cinco companhias adulto disputem os prêmios de melhor ator e atriz (principal e coadjuvante), melhor figurino, cenário, direção, iluminação, sonoplastia, texto ou ainda para qualquer outro aspecto que possa ser destacado pela comissão julgadora. O Festival de Teatro é uma realização da Prefeitura de Cascavel através da Secretaria da Cultura. Mais informações pelos telefones (45) 3222-3458 (coordenação de Teatro) ou 3902-1369 (Centro Cultural Gilberto Mayer).

Serviço:
Encerramento do 22º Festival de Teatro de Cascavel
Espetáculo ?Capitu ? Memória Editada?, do grupo Delírio
Quinta-feira, 26
Às 20h30
Entradas a R$ 10 (estudantes pagam meia)
Restrição até 12 anos
Mais informação pelos telefones (45) 3222-3458 (Teatro) ou 3902-1369 (CCGM)