Não é preciso ser fã de Madonna e muito menos ter assistido aos filmes de Guy Ritchie para saber que o casal protagoniza um dos divórcios mais comentados da história recente do show biz.

Desde que anunciaram a separação, há pouco mais de duas semanas, tudo o que os tablóides do mundo mais falam é no quanto ‘richer’ (mais rico) Ritchie está agora. Enquanto os tablóides especulam, Ritchie não parece muito incomodado com a perseguição incessante dos paparazzi e tem-se esmerado em mostrar que tudo vai bem.

Seu filme RocknRolla – A Grande Roubada, que estréia hoje nas salas brasileiras, foi a maior bilheteria do verão inglês. Só no primeiro fim de semana na Inglaterra, no início de outubro, o filme faturou 2,8 milhões de libras.

E o número só vem aumentando com as estréias internacionais. No Brasil, não deve ser diferente. No filme, Ritchie faz uma releitura do fenômeno da especulação imobiliária pelo qual Londres tem passado na última década.

Filho de uma família classe média alta inglesa, Guy Ritchie conhece como poucos as transformações que sua cidade natal vem passando. “Adoro filmar cada canto desta cidade”, contou o diretor, que se tornou um dos astros do atual cinema pop com seus dois primeiros filmes Jogos,Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch – Porcos e Diamantes.