Os maiores estúdios de Hollywood recusaram as reivindicações do sindicato de atores, que exigem que os contratos de trabalho da categoria sejam revisados.

A Alliance of Motion Pictures e a Television Producers divulgaram em um comunicado que os 13 dias de negociações entre os estúdios e o sindicato não foram suficientes para chegar a um acordo para "resolver as amplas divergências" existentes.

Outros pontos nevrálgicos da negociação, além da questão salarial, segundo os produtores, é a insistência dos atores em dobrar a porcentagem nas participações das vendas de DVDs e um aumento de outros benefícios. O sindicato dos atores não respondeu ainda à negativa dos estúdios.

No final do ano passado, os estúdios norte-americanos enfrentaram uma greve de roteiristas que durou mais de três meses e causou um prejuízo de cerca de US$ 2 bilhões.

Os roteiristas exigiram um aumento na participação das vendas de produtos audiovisuais distribuídos na internet e em outros meios.