Um verdadeiro tributo à arte moderna paranaense será realizado a partir desta semana no salão principal do Espaço Alberto Massuda, em Curitiba. Trata-se de uma exposição que resgata um pouco da memória do Grupo Um (GUM) de artes plásticas.

O mesmo foi formado na década de sessenta, pelos pintores Alberto Massuda (Nascido no Cairo – Egito. 1925-2000), Álvaro Borges (Ponta Grossa. 1928-1994), Érico da Silva (Indaial – SC. 1932-2006), Rene Bittencourt (Curitiba. 1931-2004) e Waldemar Rosa (Curitiba. 1916-1989). A exposição, intitulada Tributo à arte moderna do Paraná, coloca à mostra obras de coleções particulares desses cinco inquietos artistas plásticos.

“A exposição foi organizada de forma coletiva, por quatro filhos e um neto dos artistas. No total, serão seis obras de cada pintor, um quadro com a imagem dos cinco integrantes do Grupo Um e retratos dos mesmos”, diz o médico e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Adriano Massuda, que é neto de Alberto Massuda e coordenador-geral da exposição.

A primeira exposição do GUM aconteceu em 18 de abril de 1966, no andar térreo do prédio 256 da Praça Tiradentes. Segundo Adriano, a partir daquele evento, a arte moderna paranaense passou a ocupar espaços que antes não ocupava, como salões e galerias de arte.

“Os artistas do Grupo Um também foram professores de arte e de pintura. Por isso, também exerceram e continuam exercendo influência sobre outros artistas. As obras deles continuam vivas e eles ainda são considerados nomes bastante consagrados.”

O Grupo Um, dentro de sua proposta de levar a arte para todos, durou pouco, mas os cinco artistas, sempre amigos e companheiros, continuaram a dividir pinceladas, conversas, exposições e trabalhos, e conseguiram mudar o cenário das artes plásticas paranaense, já que com suas obras conquistaram conceito no mercado nacional e internacional. Todos os cinco tem obras espalhadas pelos cinco continentes.

Além de resgatar essa incrível história do GUM, a exposição também terá como objetivo comemorar o primeiro ano de funcionamento do Espaço Alberto Massuda, completo neste mês de julho.

No local, também estão programadas duas mesas redondas, com a participação de artistas e críticos de arte (como Fernando Bini, Max Conradt, Fernando Velloso, Vera Mussi, Xenia Rosa, Fernando Calderari, Nilza Procopiak e João Osorio), sobre a importância do GUM e de seus pintores para as artes plásticas paranaenses. A primeira deve acontecer no dia 6 de agosto (quinta-feira), das 20h às 22h. A segunda será em 3 de setembro (também quinta-feira), no mesmo horário.

Serviço

Exposição Tributo à arte moderna do Paraná. De 30 de julho até 3 de outubro, no Espaço Cultural e Gastronômico Alberto Massuda (Rua Trajano Reis, 443 – Centro Histórico). Entrada franca.