Divulgação

Fernando Lopes também
participa de um workshop.

O destaque da noite curitibana amanhã é o reconhecido pianista Fernando Lopes. Com sessenta anos de carreira, o virtuose apresenta obras de Mozart, Almeida Prado, Rachmaninoff, Debussy e Chopin, no Estação Embratel Convention Center. As composições são uma proposta do projeto cultural Estação Música, com intenção de difundir a música clássica em Curitiba. O público também pode participar de um bate-papo com o pianista, hoje, às 18h.

Com diversas apresentações nos palcos curitibanos, há vinte anos Lopes esteve na capital para a estréia da Orquestra Sinfônica do Paraná, no dia 28 de maio de 1985. Entre as composições estava O Imperador, sob a regência de Alceo Bocchino e solo no piano de Fernando Lopes. ?Lembro bem daquela ocasião. O maestro Alceu Bocchino praticamente montou a Orquestra Sinfônica?, afirma Lopes.

Com um repertório tradicional, para o espetáculo de amanhã foram inclusas as Cenas infantis, de Almeida Prado. Segundo Lopes, as cenas são nada mais do que dezoito peças que Almeida Prado dedicou a suas filhas, lembrando o passado e as brincadeiras infantis. O concerto tem início com a Sonata em lá maior K. 311 de Mozart, uma das sonatas mais conhecidas do compositor, com o desfecho na Marcha Turca. ?Ela foi muito tocada até cinqüenta anos atrás, hoje é difícil de imaginar essa música com a mesma interpretação. Temos muitos recursos técnicos no piano. Acredito até que tocamos de uma maneira mais próxima do imaginado por Mozart.?

Na segunda parte do concerto estão dois prelúdios: Prelúdio em dó sustenido menor op.3 nº.2, de Rachmaninoff e o Prelúdio n.º 10 La cathedrale engloutie de Debussy.

Dentre as principais gravações de Fernando Lopes destaque para os Cinco Concertos para piano de Villa-Lobos e as Sonatas para piano de Mozart. Segundo ele, Villa-Lobos foi fundamental em tudo que foi feito na música brasileira.     

?Ele também influenciou o jazz, a música de Debussy, Ravel e a MPB. No Brasil foi ele quem abriu caminho para todos nossos compositores.?

No Brasil

De pouco alcance em nosso País, a música erudita sofre com a falta de divulgação e apoio institucional. Segundo Lopes, o Brasil ainda precisa criar um público erudito. ?Para se ter uma idéia, nos Estados Unidos, cada município possui uma Orquestra Sinfônica e existe um grande movimento entre seus jovens?, declara.

Serviço:

O pianista Fernando Lopes apresenta workshop hoje, a partir das 18h no Piso Portinari, no Estação Embratel Convention Center. O espetáculo ocorre amanhã, às 20h. Ingressos a R$ 30 nas lojas O Boticário dos shoppings Estação, Müller, Crystal e PolloShop Alto da XV.