Esta edição do Festival de Música de Cascavel oferece algumas novidades para os participantes. Dentre os cursos que integram a programação do evento, estão inclusos as oficinas de Gaita de Boca, Construção de Instrumento com Sucata e História dos Instrumentos de Sopro.

Segundo a coordenadora do Festival de Música, Giordana Lube, a inclusão destes cursos na grade do festival ocorreu porque encontraram profissionais à disposição. ?Disponibilizar mais opções sempre acaba sendo uma vantagem. Apesar de não termos atraído muitos alunos, estas oficinas devem perpetuar às próximas edições do festival?, cita ela.

Para o professor de Construção de Instrumentos com Sucata e de Gaita de Boca, Emerson Pollice, estas atividades certamente são proveitosas em um festival. ?Minhas oficinas já foram aplicadas na cidade, as quais tiveram muita procura e aproveitamento. Este é um projeto que dá pé na região e ligá-lo a um festival é a oportunidade certa para apresentá-lo direito ao público?, explica, lembrando que o curso com sucata é feito até mesmo por crianças com utilização de todos os tipos de materiais.

Na visão do ministrante do curso de História dos Instrumentos de Sopro, Giovani dos Santos, o aprendizado da teoria também é algo procurado por muitos músicos e estudiosos. ?A maior parte dos interessados nesta oficina buscam conhecer seu próprio instrumento ou ter um contexto musical mais amplo. Contudo, é notada a presença de estudiosos que não tocam instrumentos de sopro, mas que procuram a oficina para se atualizar. Estas aulas, acopladas ao festival, só tendem a beneficiá-lo visto que o objetivo é trazer uma inovação que forneça informações relevantes aos interessados?, relata o professor. Nas aulas, algumas das atividades realizadas são entender a origem, história e evolução dos instrumentos, considerando suas adaptações à tecnologia, para que sejam melhor compreendidos atualmente.

Concordando com ele, o secretário da Cultura, Julio Cesar Fernandes, vê neste mesclagem entre teoria e prática uma grande funcionalidade. ?Tardamos em trazer cursos com este teor pedagógico para os festivais do município e agora é o momento para se recuperar as perdas. Com novas inclusões visamos alçar o conhecimento da população artística, visto que é devido a sua reciclagem e atualização que a cultura da cidade também se renova?, completa o secretário.