O 1º Festival Internacional de Cascavel (Fica) transformará a cidade na capital da arte durante todo o mês de julho e é com o propósito de empolgar a comunidade às atividades artísticas que a comissão organizadora do evento propicia uma programação para todos os gostos. A primeira realização inserida no 1º Fica é a 17ª Mostra Cascavelense de Artes Plásticas que tem início nesta sexta-feira, às 20 horas.

A abertura da Mostra acontece no Museu de Artes de Cascavel (MAC), com a entrega de prêmios aos artistas plásticos contemplados e show com a banda cascavelense Matita Perê.

Integração

O Fica agrupará os quatro principais festivais realizados pela Secretaria da Cultura de Cascavel ? Festival de Dança (de 07 a 13 de julho), Festival de Música (de 14 a 19), Festival de Teatro (20 a 26) e Festival de Cinema (de 27 a 31 de julho) ?, além da Mostra de Artes Plásticas (06 a 31) e o Festival de Interpretação Musical (16 e 17 de julho). Os seis eventos esperam trazer artistas renomados como membros das companhias mais conhecidas da região Sul e artistas de países vizinhos.

Segundo o secretário da Cultura, Julio Cesar Fernandes, a idéia da unificação garante uma maior visibilidade para a cidade. ?A iniciativa deve mudar a história dos eventos culturais no Município. A junção de todos os festivais já consolidados segue uma tendência nacional, que possibilita centralizar recursos e ampliar a capacidade do evento. O Fica permitirá que Cascavel se torne o foco de atenção durante todo mês de julho, visto que sua abrangência cobre até mesmo os países vizinhos?, diz Julio Cesar.

Considerando o número de inscritos nos cursos e mostras, o Fica permitiu que cada festival alcançasse mais participantes do que no período em que eram realizados isoladamente. ?Isso também se deve ao período em que será realizado. A escolha do mês de julho deu-se em razão das férias escolares, que possibilita o acesso de todos?, frisa o secretário.

17º Mostra de Artes Plásticas ? Na noite solene de abertura será realizada a entrega dos Prêmios-Aquisição para os artistas plásticos Rony Bellinho (Cascavel), André Americano Malinski (Curitiba), Antonio César Ferreira (Cascavel), Marilene Maria Zanchet (Curitiba) e Edílson de Carvalho Viriato (Curitiba). Cada um receberá R$ 1300.

Na ocasião, as artistas Lucia Adaliria Wolf (Cascavel), Sirlei Salvadori Coelho (Cascavel) e Ane Melo Serpa (Curitiba) serão contempladas com o Prêmio Exposição Conjunta no MAC, que dá direito a realização de uma exposição no Museu em 2008. Trinta e sete obras de 15 artistas plásticos compõem o acervo da Mostra Cascavelense de Artes Plásticas. O evento tem apoio da Associação dos Artistas Plásticos de Cascavel (Aaplac).

Matita Perê

O grupo é formado por quatro integrantes ? Luciano Dallastra (violão e guitarra), Maycon Galvan (bateria), Marquinhos Jr (trompete) e Valter Mazzo (contra-baixo elétrico, violão e guitarra) ? que se reúnem, desde o início de 2006, com o objetivo de divulgar a Música Instrumental Brasileira, Jazz e Fusion.

Matita Perê foi montado por iniciativa do integrante Luciano Dallastra. ?Sou formado em música por uma universidade paulista e, no período em que me mudei para Cascavel, achei viável procurar pessoas que tivessem o mesmo interesse musical. Eu e os atuais integrantes trocamos algumas idéias e montamos a banda, que precisou de muito amadurecimento até sair do papel e chegar ao formado esperado?, explica Dallastra.

Segundo os músicos, os estilos escolhidos são os mais compatíveis com os instrumentos que tocam. Dallastra ressalta que as músicas executadas por Matita Perê fogem do habitual. ?Primeiramente tocamos conforme as partituras, mas depois passamos a dar nossa cara à melodia ao usar improvisos dentro dos arranjos. O público tem sido muito receptivo a esta proposta. No geral, a música instrumental não tem uma platéia muito grande, contudo, nosso objetivo é propiciar um novo hábito aos cascavelenses?, conclui. Todos os integrantes têm mais de 15 anos de experiência com o ensino musical.