No principal trailer do filme, todos os personagens relevantes para a história aparecem. Menos ele. Quieto e com jeito de não querer chamar muito a atenção, Chico Xavier certamente não passou despercebido durante os seus 92 anos de vida por aqui.

Enaltecido pelos seguidores do espiritismo por ter aberto mão do dinheiro e do conforto em prol do seu trabalho solidário e pelos mais de 400 livros psicografados, mesmo para os descrentes, Chico foi, no mínimo, alguém intrigante.

O filme sobre a vida do médium mineiro, que leva o mesmo nome, Chico Xavier, é uma das estreias de hoje no cinema, dia em que Chico completaria 100 anos. O diretor Daniel Filho afirmou diversas vezes, durante as filmagens, que o filme não é uma obra para os seguidores do espiritismo, somente, e que procurou fazer um filme não doutrinário, para todos aqueles que gostam de uma boa história de vida.

E, no caso de Chico, uma história que não foi desvinculada dos constantes questionamentos e dúvidas sobre seu trabalho de psicografia, levantados por padres, jornalistas e os mais variados tipos de pessoas.

A história do filme, que foi baseada no livro As vidas de Chico Xavier (Marcel Souto Maior), é contada a partir da participação que Chico fez no programa Pinga Fogo, da extinta TV Tupi, no qual inclusive psicografou uma carta e citou seu líder espiritual, Emmanuel, que segundo Chico o guiava em todas as suas atividades.

Alternando com passagens da entrevista, que realmente aconteceu, o filme abrange três fases do médium: a infância (na qual Matheus Costa o interpreta), o início da vida adulta (quando Ângelo Antônio é o Chico) e a maturidade (época em que Nelson Xavier interpreta Chico).

Dos três, Nelson Xavier talvez seja o que mais foi tocado pelo trabalho, que hoje é considerado por ele próprio como sendo o seu maior papel no cinema. O ator, que é ateu, acredita que Chico o verdadeiro o acompanhou durante todas as cenas que fez para o filme.

Fisicamente, ele ficou muito parecido com Chico, com a contribuição dos óculos escuros e da peruca. Nelson também proporciona bons momentos de humor sutil durante a projeção, que retratam a personalidade de Chico.

Novo longa

A ligação de Nelson com a história de Chico não se encerrou com o fim das filmagens de Chico Xavier. O ator volta a interpretar o médium ainda este ano em um novo filme sobre Chico, inicialmente intitulado de As mães de Chico, sobre mulheres que perderam seus filhos e recebem um tipo de conforto com as cartas psicografas por Chico. Na nova produção, Nelson interpreta Chico numa fase mais avançada de sua vida, numa atuação mais discreta.