No dia 14 de setembro, às 18h30, acontece na Sala do Artista Popular (Rua Saldanha Marinho, s/n – anexa à Secretaria de Estado da Cultura) a abertura da exposição coletiva de Maria Celeste Carvalho Neves e Nonato de Oliveira.

Maria Celeste utiliza, para expressar sua arte, o bordado, em composições criativas sobre retalhos. Autodidata, esta catarinense de 85 anos, iniciou seu primeiro trabalho por acaso, quando resolveu fazer algo para presentear seus filhos no Natal e com seus retalhos de costura compôs quadros de paisagens.

No princípio os quadros eram pequenos e em cores pastéis, pouco a pouco, as cores tornaram-se mais fortes, aumentaram de tamanho e apareceram as figuras humanas.

Por sua vez, natural do município de São Miguel do Tapuio (PI), Nonato Oliveira começou a pintar quando ainda era criança, utilizando os restos de materiais deixados pelo pai pedreiro. Esculpia com o que sobrava das massas e pintava com o restante da tinta. Muitas vezes fabricava suas próprias cores com urucum, tabatinga, nogueira e casca de angico.

Desde então já realizou mais de 80 exposições. As cores vivas e fortes, usadas para expressar temas como a seca, fome, cultura popular, religião, folclore e o semblante nordestinos, são as principais marcas da arte de Nonato Oliveira.