A Fundação Nacional de Artes (Funarte) anunciou na tarde de hoje, no Rio, o lançamento de novos editais para projetos ligados a música, teatro, circo, dança e artes visuais. Eles terão inscrições abertas a partir da próxima semana e distribuirão cerca de R$ 15 milhões.

Neste ano, a Funarte teve um orçamento recorde de R$ 161,8 milhões para seu programa de fomento às artes, 60% maior do que o valor do ano passado.

Entre os novos editais estão o Prêmio Funarte de Música Brasileira, que distribuirá 35 prêmios de R$ 30 mil a R$ 200 mil (num total de R$ 3,4 milhões), o Prêmio de Circulação de Música Erudita (R$ 1,5 milhão) e o Mapeamento da Dança e Circo (R$ 1,3 milhão). O maior valor será aplicado no edital de apoio a festivais, feiras, bienais, encontros e mostras nas áreas de artes cênicas, visuais, integradas e música, que distribuirá R$ 10 milhões.

Antonio Grassi, presidente da fundação, afirmou que o aumento orçamentário que permitiu lançar novos editais “é um reconhecimento à nossa capacidade de execução de 100% [do orçamento] no ano passado”, graças ao grande número de inscrições e de suplentes em cada edital.

O evento também teve a presença da ministra da Cultura, Ana de Hollanda, que destacou a importância das parcerias entre os órgãos do ministério, exemplificada pela conjunção entre Funarte e Biblioteca Nacional para administrar as bolsas de criação e de circulação literária, que neste ano distribuem quase R$ 1,6 milhão.

A ministra também citou uma carta que recebeu com reivindicações dos servidores, pedindo “salários mais compatíveis com as funções que exercem”.

Hollanda mostrou-se solidária, mas lembrou que o governo lida atualmente com situações como a greve dos professores, o que dificulta as negociações com o Ministério do Planejamento.

“Eu entendo que vocês querem melhores condições. Não posso prometer, mas estou trabalhando nesse sentido. Fizemos um estudo para termos argumentação sólida para levar para a ministra [Miriam] Belchior. Estou aguardando a situação acalmar um pouco.”